menu

Destaques

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

2 [Vida Sem Som] - Surdo, Deficiente Auditivo ou PNE?

Oi, gente!

Hoje damos início a uma coluna especial aqui no blog!

Na coluna Vida sem Som, eu, Nuccia, busco trazer algumas questões sobre surdez e sanar dúvidas que eu tinha antes de ficar surda e que muitos dos meus amigos ainda têm.



Antes de mais nada, explico por quê a logo da coluna é uma Fênix.

Para quem não sabe, a Fênix é um pássaro mitológico que, ao final de sua vida, entra em chamas espontaneamente e renasce de suas próprias cinzas.

Quando fiquei surda aos 27 anos, já adulta, já com vida quase "no esquema", precisei renascer, me redescobrir nesse mundo novo cheio de silêncio.


Agora, sim, vamos à discussão do dia.

Na última terça-feira, aconteceu um evento na universidade onde trabalho, sobre Saúde e Educação, e muitos dos trabalhos apresentados eram sobre surdez. Só que... Bem, os alunos apresentando não se decidiam se chamavam as pessoas com déficit de audição de surdo ou deficiente auditivo.

Para piorar, em editais e afins, o governo cita que todos os que se encaixam na categoria 'diferente' ou 'não-normal', seriam Portadores de Necessidades Especiais, vulgos PNE.

Mas, afinal? Qual é o certo?

A resposta do dia é... Depende!

Sério!  Depende do ponto de vista, se é a definição fisiológica, cultural ou politicamente correta. Depende, principalmente, da pessoa com quem você fala.


Do ponto de vista fisiológico:
Surdo é o indivíduo que não possui a capacidade de ouvir mais nada, e nem usa audição em nenhum momento do seu dia. A comunicação é feita de diferentes formas, dependendo do indivíduo.

O coleguinha que apresenta graus diferenciados de perda de audição, usando ou não aparelhos auditivos e/ou implantes pode ser chamado de surdo OU de deficiente auditivo e a escolha de qual o melhor termo é TODA DELE.


Do ponto de vista cultural:
Depende.

Depende porque se você nasceu sem audição e, desde então, sua família fez você ter contato com a comunidade surda, você só vai falar se for extremamente necessário (ou se você souber, pois alguns se recusam a aprender), vai usar a LIBRAS como primeira língua, vai odiar português (ou gostar muito pouco) e vai odiar ser chamado de deficiente.

MAS... pode ser que você tenha nascido surdo e não teve contato com a comunidade desde a infância. Você estudou em escolas comuns, cheias de amigos ouvintes, aprendeu a falar com auxílio dos pais ou de fonos, ou nem aprendeu. Mas a sua cultura não é a surda... Você preferiria qual termo?

Ou se, como eu, nasceu ouvinte e em alguma idade qualquer perdeu a audição. Você tem a língua portuguesa como 1ª língua e decidiu aprender a LIBRAS como L2, já que precisa de entender a comunicação que vem até você. Talvez nem consiga se adaptar ao uso da Libras.

Você também vai achar a palavra 'deficiente' muito imprópria, pois dá a impressão de que você é incapaz de alguma coisa. E, na MINHA opinião, não ter audição não me torna automaticamente incapaz. Dificulta um bocado a vida, mas não impossibilita.



Definir-se como surdo ou deficiente auditivo é uma questão muito pessoal. Na dúvida, pergunte como a pessoa prefere ser chamada. Não é ofensa perguntar!


E os PNE

O termo Portador de Necessidades Especiais foi o jeito politicamente correto escolhido para tentar generalizar toda essa diversidade. 

É ruim? É. Não parece, mas o termo não evidencia as inúmeras diferenças que vemos uns nos outros. Além disso, rotular todas as pessoas com alguma deficiência de "especial" só aumenta a exclusão ao invés de nos incluir.

PNE é um termo que está caindo em desuso. O correto e aceitável atualmente (a postagem foi editada em junho/2017) é PcD = pessoa com deficiência.

Tenham em mente uma coisa muito importante >> TER deficiência é diferente de SER deficiente!


Surdos não são todos iguais. Nossa principal diferença pode estar na comunicação usada, contudo há muito mais envolvido.

Futuramente, irei fazer uma postagem sobre os diferentes tipos de surdos. Até lá, vocês já tiveram uma leve noção de que não dá pra jogar todos no mesmo pacote.

INTOLERÂNCIA de todos os lados. Não, eu não estou tirando o meu da reta. 

Surdos têm muitos problemas que são difíceis de superar mesmo entre nós mesmos: os que não querem aprender LIBRAS, os que aprenderam LIBRAS mas usam mais o Português (eu!), os que falam mais do que sinalizam (eu tb!), os que deixaram de falar depois que aprenderam LIBRAS, os que nunca falaram, os que têm vergonha de falar, os implantados e os usuários de aparelhos que não querem ou não conseguem usar LIBRAS, os usuários de aparelhos que preferem usar LIBRAS... E, por aí vai... 

Porque somos indivíduos e temos, cada um, nossa opinião e vontade. E, um não aceita o outro muito bem.


E, uma coisa que esqueci de mencionar, mas vocês já devem ter entendido >> Surdo-mudo é um conceito em desuso!! A palavra foi criada em um contexto social e repassada por gerações sem fim, mas não tem fundamento!!

Um surdo pode perfeitamente aprender a falar, mesmo sendo pré-lingual (ou seja, ficou surdo antes de aprender sua língua materna). 

Pombas... e eu que fiquei surda já adulta! Eu falo mais que 3 pessoas juntas em conferência!! Vamos lá... Nada de propagar besteiras, o mundo faz isso sozinho...

O que é legal de saber também é que, mesmo com toda essa surdiversidade, a maioria dos locais públicos no país não estão bem preparados para nos receber, sejamos quais tipos de surdos ou deficientes auditivos formos. 

Aqui deixo um recado aos surdos: Lutem pelo seu espaço! Reclamem! Exijam a acessibilidade, seja pela presença de intérpretes ou tecnologias.




Beleza, então?

Espero ter ajudado um pouquinho mais!

Aguardem o post dos 'Tipos de Surdos'.

Até + ver!







2 comentários:

  1. sou deficiente auditiva descobri a pouco tempo,que a perca auditiva e bilateral moderada a severa,fico muito triste em saber que em minha cidade(guarulhos)nao tem nenhum apoio aos surdos.nao consegui aparelho auditivo disseram que a espera é de 6 anos,ate la ja perdi totalmente a audiçao,trabalho...ate agora nada!!!ja fiz estrevista em varios lugar e nada!!!SOCORRO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria... a vida é uma droga quando temos tecnologia mas não há acessibilidade a ela. Eu também sou surda (há 8 anos) e não uso aparelhos. Nunca pude usar, pois minha doenças não permitiu. Caso não consiga aparelho AASI elo SUS, talvez você tenha de procurar no setor privado. Mas lembre-se que um AASI não é a cura e não vai impedir que a doença se agrave. Mas vai te ajudar MUITO enquanto você tiver um vestígio de audição. Outra coisa que você pode fazer é procurar uma amiga minha: Lak Lobato (procure o nome no facebook ou o blog dela "Desculpe, não ouvi!") é surda também, morada em SP capital e usa Implante Coclear. Talvez possa te indicar fonoaudiólogos especializados OU como conseguir os aparelhos melhor do que eu aqui no RJ. Boa sorte e me mantenha informada!
      bjs! Nu.

      Excluir

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...