menu

Sorteios

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

2 Resenha [livro] - A Casa dos Espíritos

Bom dia, gente!


Bem-vindos à postagem n.º 250!!! 

Hoje é dia de resenha de mais um Desafio Literário Skoob!!

Saiba o que é o DL Skoob 2015 clicando >> AQUI.

A temática do mês de setembro é Livros Banidos! Por banidos ou censurados, o povo quis dizer: livros que a Igreja condenou e/ou todos os que foram listados AQUI.

Dessa lista incrivelmente longa, eu escolhi um livro que sempre tive curiosidade de ler, pois me apaixonei pelo filme. A resenha será do livro A Casa dos Espíritos, de Isabel Allende.

A sinopse que encontramos na rede é um compilado de anos de divulgação de uma obra considerada mais do que clássica:

*Livro do acervo pessoal do blogueiro*

Bestseller internacional considerado pela crítica um clássico da literatura latino-americana, "A Casa dos Espíritos", romance transcendental de Isabel Allende, conta a saga da turbulenta e numerosa família Trueba, do Chile, com o seu patriarca angustiado e suas mulheres clarividentes. Trata-se de uma narrativa vertiginosa que se alimenta de si mesma e parece tender ao infinito. É no seu desfecho que se alcança o efeito trágico da obra cujo limite não é o esgotamento das narrativas, mas um golpe de Estado que metamorfoseia as narrativas em sangue nas sarjetas e as palavras em silêncio. Num panorama da história chilena que vai de 1905 a 1975, desfilam personagens como Esteban Trueba, latifundiário e senador; Clara, sua mulher clarividente e Alba, sua neta, jovem, socialista e, portanto adversária do patriarca e de seus cúmplices. 

Segue a resenha:
A história do livro é focada na Família Del Valle, inicialmente, e seguida da história da Família Trueba, ao longo de 4 gerações, na Venezuela pré- e pós-ditadura militar.

Logo no início, somos apresentados aos protagonistas da primeira geração, os pais Del Valle e suas duas filhas solteiras, Rosa, cujos cabelos verde e extrema beleza eram incomuns, e Clara, a pequena clarividente.

Rosa morre acidentalmente às vésperas do casamento. Seu noivo, Esteban Trueba, desaparece em uma fazenda no interior até que, após anos promovendo estupros e deixando filhos não reconhecidos, decide que precisa se casar e a noiva precisa ser de família importante, portanto ele escolhe a Clara.

A partir daí a história do livro gira em torno das 2ª, 3ª e 4ª gerações da Família Trueba, contando todos os casos pessoais, análises sentimentais, visões fantasmagóricas, premonições, partos, perdas e opiniões de cada personagem, em especial as de cunho político.

O cenário político do país ao longo de todos estes anos, indo do latifúndio conservador à reforma agrária esquerdista, e desta à ditadura militar, que foi apoiada pelo partido conservador, permeia todo o livro. A autora não mede esforços em saltar do clima romântico para a luta de classes de um parágrafo ao outro, sem fazer com que o leitor se perca ou se aborreça.

Suponho que todo o clima sobrenatural que envolve a personagem Clara, cuja clarividência é notada em todo o livro, foi o que destinou o mesmo à censura. Porém, baseada na época em que foi escrito e publicado, suponho também que o detalhamento político possa ter contribuído para o fato.

Bom, nesta resenha eu não posso opinar muito sobre diagramação, miolo e capa, pois o que li foi um e-book disponibilizado em uma biblioteca virtual. Este arquivo continha pouco mais de 400 páginas, algumas páginas repetidas, porém sem comprometer o bom andamento da leitura.

De confuso, posso citar a troca de narradores. Em alguns momentos, o leitor não sabe dizer quem está narrando, se o próprio Esteban Trueba ou outro personagem, pois acontecia do Esteban falar de si próprio na 3ª pessoa. Somente ao final do livro percebemos que são 2 narradores, Esteban e sua neta Alba. Outro detalhe é que os diálogos de Esteban às vezes se perdiam em detalhes profundos demais, uma narrativa detalhista cansativa em alguns momentos, pois descrevia cada objeto da festa, cada desenho da renda da roupa.

Entretanto, foi uma das leituras que mais gostei de fazer nos últimos tempos. E, citações de A Casa dos Espíritos não poderiam faltar:





Espero que tenham gostado. Ultra recomendado, porém precisam ler com calma e atenção, pois o modo como está escrito é de outra época.

Boa leitura!

Até + ver!







2 comentários:

  1. Oiii Nutella, tudo very nice? Eu vi o filme, mas nem me lembrava bem a história, sei que na época eu gostei, pelo que dissesse parece ser um livro que tem que ler devagar e com bastante atenção para não cavar ou e confundir com as narrativas, então vou esperar um momento mais relax para ler com calma.
    Beijos.

    Giuliana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Giuli!
      Por causa do filme (que tb amei na época) que escolhi ler este livro. A autora tb é super bem recomendada. Não sei se foi a diagramação do livro ou a narrativa mesmo. Confunde um pouco, mas foi uma das melhores leituras que já fiz.
      Com calma, é bem mais fácil do que cheia de prazo!..
      bjs!!

      Excluir

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...