quinta-feira, 29 de outubro de 2015

0 [Entrevista a autores] - Carolina Utinguassú Flores

Olá, leitores, seus lindos!

Na semana especial de Halloween, nada como uma entrevista com autora nacional de suspense e terror psicológico!

Assim, meio atrasadinha, porém super-dentro de um prazo louco que estipulei a mim mesma, trago a vocês mais uma entrevista com autor nacional.

A entrevista da vez é com uma autora extremamente simpática e alegre: Carolina Utinguassú Flores, que também é nossa autora parceira.

Antes das perguntinhas, que tal conhecer mais a Carol?

BIOGRAFIA



Carolina Utinguassú Flores nasceu em 1984, em Porto Alegre (RS). Formou-se em 2005 como técnica em edificações e trabalhou por sete anos na construção civil. Formada em Letras, já participou também de oficinas de Criação Literária e de Escrita Criativa. É coautora do livro Contos de Som e Silêncio: histórias inspiradas em letras de música, lançado em 2013, e de Minicontos Coloridos (lançamento em 22/08/2015), ambos organizados por Marcelo Spalding. Em 2014, foi premiada no concurso literário de Presidente Prudente – Ruth Campos, pelo conto “A Madrugada”, disponível no seu blog. Seu primeiro romance solo lançado neste ano (jun/2015), Plátano e Bordo, tem como cenário o presídio Madre Pelletier, de Porto Alegre, e trata-se de um romance de suspense erótico.


Vamos à entrevista?


Como e quando surgiu a vontade de ser escritor/a?
Surgiu quando eu estava no primeiro semestre da faculdade de Letras. Comecei a construir o enredo a partir do momento que consegui uma bolsa de iniciação científica. Meu projeto abordava a perspectiva da Ecocrítica e a visão do autor a respeito da relação entre humanos e a natureza (não humanos). Então tive a ideia de relacionar as duas espécies de árvores da família Acer, o Plátano e o Bordo Canadense, com a natureza humana. Comecei a pesquisá-las e percebi que poderia focar na natureza das personagens Rosana e Tereza, como se uma fosse o Plátano e a outra fosse o Bordo. 

Pode enumerar alguns dos prós e contras de publicar em formato impresso e digital?
Acho que publicar em formato impresso é importante, parece mais concreto e as pessoas gostam muito de folhear um bom livro. O leitor que degusta um livro no ônibus, por exemplo, estará fazendo propaganda dele. O livro digital é uma boa opção também, mas acredito que o leitor precisa ter primeiro o livro impresso, pois quando se faz primeiro o E-book e depois o formato físico, é mais difícil de o leitor comprá-lo. 

Como foi escrever um romance erótico pelo ponto de vista de vários protagonistas, incluindo um com perfil psicopata?
Eu nunca pensei em fazer um livro puramente pornô. Queria que tivesse um conteúdo universal e polêmico, por isso escolhi nosso sistema carcerário. Desse problema social, pensei no perigo de não termos leis específicas para psicopatas, nem mesmo testes diagnósticos e ambiente adequado. A única forma que encontrei de falar sobre o assunto foi introduzindo uma psicopata assassina, já que gosto de suspense. O sexo foi apenas uma ferramenta que percebi que seria relevante, conforme minhas pesquisas sobre psicopatas. 

Qual foi a maior alegria e a maior decepção após o lançamento do seu livro?
A maior alegria foi ver gente que eu não esperava, algumas das minhas melhores amigas, ex-aluna, ex-professora e, até mesmo, pessoas que eu não conhecia, que viam minhas postagens no facebook. Minha maior decepção foi não ver o reconhecimento de outras pessoas que eu sempre estive por perto em todos os momentos. Hoje quem mais divulga meu livro são pessoas que nunca vi pessoalmente.

Além do livro Plátano e Bordo, você possui alguma outra obra pronta, publicada ou não? Caso positivo, pode falar um pouco sobre ela(s)?
Eu tenho livros em que fui coautora, são livros de contos (Contos de Som e Silêncio, 2013) e de minicontos (Minicontos Coloridos, 2015). Algumas pessoas estão pedindo para que eu escreva a continuação de Plátano e Bordo. Eu não sabia como seria a repercussão, mas tinha vontade de continuar essa história e esses comentários estão me motivando. Então já comecei a escrever o segundo livro, com mais suspense que o primeiro e muitas surpresas.

Você acha que um escritor precisa/deve ler outros autores? Por quê? E quais seus autores preferidos?
Com certeza. Se você não tem um parâmetro, não tem como escrever de forma razoável até criar seu estilo próprio. Eu li muitos livros que achei importante para contar aquilo que eu tinha em mente. Meus autores favoritos são Ágatha Christie, Ernest Hemingway, Edgar Allan Poe, Saramago, Érico Veríssimo e Nora Roberts.

Pode explicar aos leitores e futuros escritores qual a sensação de participar de eventos literários coletivos, como mesas redondas e a Bienal?
Este ano, eu estava em função de formatura e de emprego novo, então não me inscrevi para a Bienal. Já tive três lançamentos e dois deles foram coletivos, o que foi ótimo, pois tive o prazer de conhecer alguns dos colegas e trocar experiências, bem como fazer networking. 

Pode descrever o mercado literário brasileiro sob o seu ponto de vista? Como está, tendências e outros aspectos?
Vejo nos eventos literários e nas redes sociais muitos autores criativos, com histórias encantadoras e inteligentes. O Wattpad também é uma oportunidade para muitos bons autores conseguirem editora. Isso é ótimo! 

Dicas que você gostaria de compartilhar com escritores iniciantes:
Para escrever um livro não basta ser autor, é preciso dominar o seu idioma, entender de ortografia, concordância e acentuação pelo menos. Estudem e pesquisem. 

E seus projetos futuros?
Quero continuar fazendo revisão de texto e, no futuro, um mestrado em literatura. Eu costumo agarrar todos os convites que recebo, para palestras, artigos, oficinas etc. Se um dia for possível, gostaria de ser somente escritora.

Fique à vontade para compartilhar mais informações:
Tenho uma oficina que ministro para escritores sobre o erotismo na literatura. Para quem estiver interessado, a próxima data é dia 21/11/15, em Porto Alegre. Basta se inscrever pelo link abaixo:


Além disso, estarei dando autógrafos na Feira do Livro de Porto Alegre dia 08/11/15, às 20h.

Você autoriza a publicação desta entrevista, na íntegra ou em partes, no blog “As 1001 Nuccias”? Caso positivo, por favor, manifeste-se de forma elucidativa:
Autorizo a publicação desta entrevista na íntegra. Obrigada!

==========

Que tal conhecer um pouco mais sobre a obra citada?

Plátano e Bordo
Gênero: Suspense
Ano: 2015
Editora Multifoco (Selo Erótika)


Sinopse:
Capital gaúcha, presídio feminino. Rosana é uma dançarina que corre contra o tempo para fazer sua faculdade e manter seus dois empregos. Ela passa a ser ameaçada por um dos clientes da Boate Pleasure, onde se apresenta em algumas noites. Na tentativa de se libertar desse inconveniente acaba cometendo um assassinato. No presídio Madre Pelletier, ela conhece sua psicóloga e futura grande amiga, Tereza, que lhe dará apoio nos momentos dolorosos e de aprendizado que se passam nesse ambiente. Após sua saída da prisão, outros assassinatos ocorrem, característicos de uma psicopata sexual. Nem mesmo namorado, familiares, amigos ou conhecidos desconfiam do que essa mulher é capaz.




Book-trailer:

Onde comprar o livro:


==========

Que tal?

Eu gosto muito de entrevistas. Apesar de conhecer o autor de conversas aleatórias no facebook ou e-mail, uma entrevista me permite ver pontos específicos da carreira do entrevistado. E sempre me ajuda muito com a minha própria!

Espero que tenham gostado. Para encontrar e se comunicar com a linda da Carolina, acesse as redes dela, listadas abaixo:


Ainda temos muitas novidades esta semana!

Confiram a Promoção de Halloween! Acaba no dia 31!!


Boa sorte!

Divirtam-se nesta última semana de outubro!

Até + ver!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...