quarta-feira, 25 de novembro de 2015

2 Resenha [livro] - Minicontos Macabros

Olá, pessoas!


Mês de novembro parecendo dezembro, com tanta promoção no ar que nem sei mais quais são os prêmios (mentira deslavada, eu sei!)... Que tal mais uma... promoção, não! Vamos resenhar?

A resenha de hoje é do livro Minicontos Macabros, do autor Clayton de la Vie. Parceiro do blog, Clayton gosta de ler e escrever textos e romances dos gêneros terror e suspense.


Sinopse:
A obra reúne diversos minicontos com teor gótico, repletos de humor negro e que trazem, mesmo que obliquamente, uma reflexão acerca da vida, do que é real e imaginário.









E, então, a resenha...:

Eu sei que não preciso repetir, mas não custa... Sempre faço as resenhas com análise completa do livro, desde a capa (imagem, fontes, orelhas, tipo, etc) até seu miolo (diagramação, fontes, parágrafos, margens, espaçamento entre linhas, português e enredo). Quando a resenha é de livro digital, algumas coisas são desconsideradas por motivos óbvios. 

Então, a análise da capa deste livro é bem sucinta, visto que o mesmo é um e-book. A imagem foi bem escolhida, dando o tom macabro que envolve os minicontos. A fonte do título é perfeita e está em ótimo tamanho. A única modificação que faria seria colocar o nome do autor ao pé da página, dando um destaque melhor, mas não escalafobético. No entanto, essa é apenas uma sugestão. Atentem para o fato de que eu não sou designer e posso estar muito equivocada.

Da diagramação, não tenho nada a reclamar. O miolo do livro foi muito bem preparado e organizado. Margens justificadas, fonte de tamanho perfeito, espaçamento entre linhas bem ajustado, parágrafos demarcados. Erros de português? Nenhum! Nem de pontuação! #aplausos

Este livro não tem um enredo em si, afinal é uma coletânea de minicontos de terror. Vocês sabem o que são minicontos?

#pausaexplicativa

Miniconto é um tipo de conto muito pequeno, com no máximo uma página ou um parágrafo. Alguns valores importantes para o miniconto são concisãonarratividadeefeitoabertura e exatidão.

CONCISÃO >> Ser breve e ser conciso são coisas diferentes. A história que ele conta precisa caber exatamente naquele pequeno tamanho, não mais, não menos. 

NARRATIVIDADE >> É a narratividade que primeiro diferencia o miniconto do haicai ou do poema em prosa. Ser narrativo significa contar a passagem de uma personagem de um estado a outro.

EFEITO >> Ainda hoje é considerado um bom conto aquele que consegue provocar algo no leitor, seja medo, compaixão ou reflexão. Se o texto, por menor que seja, não "muda" o leitor, serão palavras ao vento.

ABERTURA >> Como pode um texto tão pequeno provocar efeito em quem lê? A resposta está no próprio agente da questão: o leitor. Cabe ao leitor preencher as lacunas no miniconto a partir de seus conceitos e experiências. 

EXATIDÃO >> É importante que o autor seja suficientemente claro para criar o efeito desejado no leitor, e não seu oposto, sob o risco de não ser compreendido. Para tanto, a escolha de cada palavra em cada posição é fundamental, quase como em um poema, pois disso depende o sucesso ou não da narrativa. 


Vocês podem ter vários exemplos de minicontos, clicando neste site AQUI.

Eu participei de uma coletânea nomeada de Minicontos Coloridos. É um livro interativo, em que os minicontos foram escritos tendo uma cor por base. Cabe a vocês, leitores, pintarem os títulos de cada um da forma que compreenderem seu subtexto. Se quiser, compre AQUI.


#despausaexplicativa

Então... Nesta obra, encontramos 50 minicontos, todos do gênero do terror e suspense. O último é um conto em homenagem ao mestre do sombrio, Edgar Allan Poe. Todos os contos tem um toque mórbido. Alguns possuem o humor negro associado, e dão mesmo vontade de rir, daquele riso nervoso. Era essa mesma a intenção do autor, então está valendo!

Alguns dos contos são bem curtinhos, outros um pouco mais longos, mas todos dentro da categoria mini. São contos de terror, mas não são assustadores. Quer dizer, para mim não... Bem, alguns são bem nojentos, daqueles que você lê e pensa... "Eca! Como que alguém teria coragem de..." Mas já sabemos que o ser humano tem coragem de tudo.

Para os leitores que gostam do gênero, é bem interessante. Para quem não conhece minicontos ou está pouco acostumado a este tipo de leitura curta, pode parecer estranho no começo, mas é válido.

Selecionei alguns dos contos que mais gostei:




Se você gostou e tem interesse em adquirir, basta acessar o link da Amazon. >>




Clayton De La Vie nasceu em agosto de 1994, em Franco da Rocha (SP), e começou a escrever muito cedo. Atualmente, aos vinte anos de idade, tem sete obras publicadas. Dentre elas, se destaca "A Mordida do Vampiro", um romance Sobrenatural/Horror que assina como Laerte Verrier. Hoje, reside em Caieiras (SP) e ocupa seu tempo ao som do bom e velho Rock 'N' Roll. Não é casado, não tem filhos, mas nutre um namoro há nove meses. Sua obra mais recente, Minicontos Macabros, traz uma proposta nada ortodoxa e reúne cinquenta histórias repletas de humor negro.

Quer conhecê-lo um pouco mais e/ou entrar em contato com o autor?

 
   


Outras obras do autor:

Seres do Além:
A Lendária Fênix Vermelha
Ano: 2015
Publicação Independente

Sinopse:
O mundo dos irmãos Richard muda completamente quando Hórus, a Lendária Fênix Vermelha, é sequestrada. Em uma visita inesperada de Gabriel, os irmãos Christine, David e Nicolas acabam por descobrir que não pertencem a este mundo e sim a uma dimensão paralela, onde criaturas místicas construíram uma civilização. Durante séculos os seres mágicos conviveram pacificamente com os humanos, porém, depois de uma grande batalha, deixaram de conviver conosco e formaram um mundo à parte para evitar conflitos. O sequestro de Hórus deixa o Mundo Mágico alarmado para um possível ataque ao Mundo Mortal. Porém, algo muito mais sinistro ronda a situação e os novos bruxos descobrirão da pior maneira...


<< Quer comprar o livro? Acesse a Amazon!





A Mordida do Vampiro
Ano: 2014
Publicação Independente

Sinopse:
Brian teve seu futuro escrito pelo seu próprio pai. Obrigações com os negócios da família e um casamento com alguma aristocrata qualquer estavam na lista de suas tarefas. Porém, a chegada de uma bela dama muda seu destino. O jovem rapaz deseja conhecer o lado sombrio da existência, e ela lhe mostra o caminho da morte. De repente, seu mundo é tragado, e seus olhos ganham uma nova cor... Vermelho... Sangue! Conheça a trajetória demoníaca do primogênito da família Van Dom, seus amores e temores, contados em diversas versões dos fatos.


Para comprar o livro, acesse a Amazon! >> 





Outras obras, como contos, podem ser encontradas no perfil do autor no Facebook e no seu site pessoal. Confiram lá!
Obrigada pela confiança, Clayton! Espero ter ajudado bastante.

Boa leitura a todos!

Até + ver!






2 comentários:

  1. Gente adorei os mini contos selecionados, eu preciso ler a lendária fênix que tenho aqui, adoro gente que faz o melhor com o pior do mundo hahahah...
    Beijocas Nu como sempre Razô com a sua resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei deles mesmo! Muito perspicazes, pegou bem a essência macabra do ser humano...
      Gostaria de ler os demais livros dele também!
      um beijo como sempre, sua linda!

      Excluir

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...