menu

Destaques

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

0 Resenha [livro] - As Elegias, de Marcos R. Terci

Bom dia, leitores!

Desde ano passado que no mês de outubro temos ou deveríamos terEspecial Outubro Sangrento. Só que eu estou escrevendo um livro novo alucinadamente e com isso sem tempo para ler. Assim, não tive nem terei leituras extras esse mês e com isso o Especial ficou para 2018.

Isso não significa que não teremos nenhuma resenha de terror. Pelo menos UMA tem! E em plena SEXTA 13! Vem que tem resenha nacional de terror na área!

Trago, então, a resenha do livro escrito pelo autor Marcos R. Terci e publicado de forma independente pela L. P. Books: As Elegias, volume/Tomo I da coleção O Bairro da Cripta.

As Elegias
Coleção O Bairro da Cripta - Tomo I
Autor: Marcos R. Terci
Editora: L. P. Books
Gênero: horror/terror
Ano: 2014
168 p.


*Livro do acervo pessoal do/a blogueiro/a*


Sinopse:
"Cá, em Tebraria, a oeste do preguiçoso Mogi, o peregrino viu, finalmente, Seu rosto esculpido em pedra escura. Era tarde e o desejo de todas as coisas vivas é se esconder daquela escuridão. Mas, é sempre treva no Bairro da Cripta".

Elegias é o primeiro tomo da pentalogia do Bairro da Cripta. Composta por 24 contos que colocam os clássicos do terror universal sob a luz dos lampiões de querosene dos sertões paulistas do século XIX. Strigois que se alimentam de vitalidade humana, licantropos boêmios às vésperas das núpcias do diabo, aparições atormentadas a procura de algum alento, nereidas sanguinárias que espreitam rios e lagos, sombras famintas que se alimentam de sangue, alienígenas curiosos e seus assombrosos experimentos, divindades cruéis, demônios narcisistas e psicopatas medonhos que mantém estreito entendimento com aquele bairro sinistro que ladeia a assombrada Comarca de Tebraria. Através das sendas que conduzem às Montanhas da Tristeza de Deus e as margens do rio pantanoso que deságua na Baia das Sepulturas; entre as trilhas desairosas do Jardim dos Suicidas e a grande Necrópole que ladeia a Estrada do Chão Duro está o mal afamado Bairro da Cripta.


Esse livro faz parte do Desafio Literário Diminuindo a Pilha 2017, como leitura de MÊS DE OUTUBRO: Livro DE TERROR.



Recebi este livro de presente de uma amiga em 2016. Na época eu não conhecia mais de 3 escritores nacionais de terror. Marcos Terci me era totalmente desconhecido e suas obras idem. Quando terminei de ler o primeiro volume de O Bairro da Cripta me perguntei onde esse autor esteve minha vida inteira!


As Elegias é o 1º de 5 livros da coleção O Bairro da Cripta, dos quais 3 já foram publicados. Passado no Brasil, mais especificamente no interior de São Paulo, lá pelos anos de 1800-1899, traz um total de mais de 20 contos de terror e horror sobre diferentes mitos, monstros e assombrações, todos vagando aleatoriamente no Bairro da Cripta, localizado na distinta e esquecida Comarca de Trebaria.

"Miss Hale não fala. Miss Hale sangra sussurros."

Essa é a primeira frase do primeiro conto. Só por conta disso você já consegue ter uma ideia do que virá com os demais, certo? Errado! Os contos se tornam mais sombrios, mais apavorantes.

Os moradores de Trebaria não gostam de estranhos, nem de algazarra, menos ainda de que falem sobre o seu bairro mais sombrio. Dos 30 mil habitantes, apenas 10 mil estão vivos, segundo o censo. O carteiro teimava em entregar correspondências aos jazigos, gritos noturnos impediam o bom sono de viajantes na pensão da cidade, os túmulos nunca tinham paz.

"No Bairro da Cripta, verbi gratia, nas imediações da Vila de Trebaria, um homem, entre todos, conheceu coisas que detinham o dom de calar as palavras. Uma dessas coisas se arrastava pelos corredores insondáveis das suas poucas horas de sono. (...) E, com apavorante frequência, a coisa visitava seu leito."

Em cada conto, o autor apresenta um local específico do bairro, como o Jardim dos Suicidas e o Morro das Tristezas de Deus. Nada mais sombrio por ali do que o Cemitério Municipal, cuidado pelo cidadão mais respeitado, o coveiro.


Apesar da linguagem típica da época, o livro não é difícil de ler, nem enfadonho. A escrita do autor tem uma pegada poética que traz certa beleza à leitura. Pelamor, "chato" não existe nesse livro! Toda página tem um tapa para ser dado nas faces do leitor!

Ao invés de um livro corrido, cada capítulo é um conto e com isso as histórias são dinâmicas. O primeiro volume tem um número pequeno de páginas, e acho que os demais seguem o estilo, isso é legal e ruim pelo mesmo motivo: terminamos a leitura numa tacada.

"E, entre os muros e casas ecoam meus passos, féretro solitário, cujo eco morre na escuridão onde só eu conheço as sombras pelos nomes.A arma pesa em minhas mãos. Como um recém-nascido, trago-a colada ao peito, na esperança de fazer-lhe aquecer para longe dos frios do mundo. É sempre frio no Bairro da Cripta."

Dando uma pesquisada, vi que o autor se inspirou na escrita de H. P. Lovecraft, assim o sombrio, sorturno, gótico e delicado horror permeia toda a escrita. Todos os contos são independentes, mas alguns estão entrelaçados, o que dá a sensação de continuidade e dinamismo já citados. Além disso, muitas são baseadas em mitos e folclore da própria região, ampliando assim o nosso conhecimento sobre o folclore nacional.


Uma das melhores revisões que já peguei. A edição está muito boa, mesmo com as páginas brancas não foi ruim de ler à noite ou sob o sol. A capa é simples e sombria, combinando com o conteúdo. Descrição  #pracegover: é totalmente em degradê, indo do preto ao branco, das margens ao centro. Em preto, o título (bem no centro) e lápides com crucifixos típicos de um cemitério antigo (na parte inferior). Em branco, no centro, uma grande lua brilhante.


Um beleza de leitura! Recomendo muito muito muito mesmo para todos os amantes do gênero terror/horror e também a quem queira uma boa leitura. Quem quiser conhecer o terror nacional, pode começar por ele tranquilamente! Foi muito bom conhecer o autor e sua escrita. Agora estou acompanhando para poder ler as sequencias. Espero poder ler o volume 2, Os Epitáfios, ainda em 2017!




Sobre o AUTOR:

M.R.Terci é escritor, poeta e advogado especializado em Direito Internacional com ênfase na União Europeia e Mercosul. Nascido em Descalvado-SP, em 1973, busca honrar aos Deuses da Criação Literária enfrentando, diariamente, o desafio da página em branco, devotando sua energia ao solitário trabalho de traçar destinos através dos meandros do sobrenatural. É o criador das séries: O Bairro da Cripta - tomos I e II - pelo selo LP-Books; Os Imperiais de Gran Abuelo - As Crônicas de Pólvora e Sangue, pela Editora Labareda; e Caídos pela Editora Multifoco.

SITESKOOB 


Espero ler mais algum de terror ainda este mês, mas com o gás que estou para terminar "Cadeados" acho complicado...

Enfim, eu adorei essa leitura! Foi um prazer imenso conhecer a escrita do Marcos!

Apreciem comigo! Boa leitura!

Até + ver!





Nuccia De Cicco é bióloga, Doutora em Bioquímica, escritora, poetisa, bailarina e blogueira. Carioca de paixão de Santa Teresa, é apaixonada por livros, seriados, tatuagens e lambidas caninas, além de ter uma queda saudável por cafajestes. Surda desde os 27 anos, é co-autora em nove antologias e publicou o livro “Pérolas da minha surdez”, uma obra sobre luta e força de vontade. Todas as suas facetas são mostradas no blog “As 1001 Nuccias”. Nele, a literatura impera!

FACEBOOK | FANPAGE | TWITTER | 
INSTAGRAM | WATTPAD | SKOOB | 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...