menu

Destaques

domingo, 19 de outubro de 2014

0 Resenha [livro] - A Hospedeira

Oi pessoas!!

Mais uma resenha, estalando de quentinha!

A resenha que acabou de sair do forninho é sobre o livro "A Hospedeira", da autora Stephenie Meyer, a mesma que escreveu a saga "Crepúsculo", lançado pela Editora Intrínseca.

Esta é a sinopse oficial:

*Livro do acervo pessoal do blogueiro*

Melanie Stryder se recusa a desaparecer. Nosso planeta foi dominado por um inimigo que não pode ser detectado. Os humanos se tornaram hospedeiros dos invasores. Suas mentes são extraídas enquanto seus corpos permanecem intactos e prosseguem suas vidas aparentemente sem alteração. A maior parte da humanidade sucumbiu a tal processo. Quando Melanie, um dos humanos 'selvagens' que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim. Peregrina, a 'alma' invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade pela qual Peregrina não esperava: a antiga ocupante de seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente. Peregrina investiga os pensamentos de Melanie com o objetivo de descobrir o paradeiro dos remanescentes da resistência humana. Entretanto, Melanie ocupa a mente de sua invasora com visões do homem que ama: Jared, que continua incapaz de se separar dos desejos de seu corpo. Peregrina começa a se sentir intensamente atraída por alguém a quem foi submetida em uma espécie de exposição forçada. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa pelo homem que ambas amam.


Partiu, Resenha?


Se você pegou o livro pensando em uma típica ficção científica, ao estilo “Independence Day” ou “Guerra dos Mundos”, pode largando aí. É sério. Se você gosta mais de carros voando, bombas explodindo e aliens açougueiros, sorry, o livro não é pra você.

Lembre que os livros dependem de quem os escreve, óbvio. Neste caso, SM é uma autora do gênero romântico. Mas, não ache que esta história tem o mesmo impacto que os livros anteriores dela (A Saga Crepúsculo). Não tem mesmo. Acho até que se “A Hospedeira” tivesse sido lançado antes, a vendagem seria ínfima.

Enfim. A história É uma ficção científica, com aliens invadindo seres humanos, roubando suas vidas, seus corpos, matando-os. Mas é uma ficção científica romântica. A história é centrada no amor de uma jovem por um homem e no amor pelo seu irmão caçula. Amor este que ultrapassa as barreiras da invasão alien a tal ponto que a própria alien se apaixona pelos dois também, o que a faz abandonar o estilo de vida alien e se enfiar de cabeça na rebelião.


O livro não é abarrotado de ações, porém você as encontra em pequenas partes. Eu posso dizer que meu coração não disparou devido a um jorro de adrenalina em nenhum ponto.


Mas, eu fiquei enternecida e pensativa. Sim, de alguma forma, você se emociona. O livro me fez filosofar sobre o que é vida, o que é a nossa vida, o que nos define como seres humanos, o que nos faz ser tão violentos ou tão passivos, onde, como e por quem ter compaixão, o que é amar e como saber se você realmente ama alguém ou se está sobre influência. E foi por me despertar estas filosofias, estes questionamentos de mim mesma que eu gostei do livro.


É bom? É uma visão diferente, fica ao gosto do leitor. 

Segundo a autora, Stephenie Meyer: “Um livro de ficção científica que não parece ficção científica - é sobre um triângulo amoroso com apenas dois corpos. O que mais gostei foi de explorar o amor de ângulos tão diferentes.”


Boa leitura!


Até + ver!

Nu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...