menu

Destaques

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

6 [Entrevista] - Samanta Holtz

Oi, pessoas!

Como andam os preparativos para o carnaval? A mil, espero!

Bem, ainda estou fazendo cursos de escrita e publicação, muitos pequenos contos surgindo, e 'afazeres' cumpridos. Em um desses cursos (bons pacas!), me foi solicitado realizar entrevistas com autores sobre o processo de publicação. O professor forneceu uma batucada de perguntas, eu acrescentei outras. 

Eu gostei tanto da ideia que entrevistei mais de um autor e decidi abrir TAG das Entrevistas aqui no blog.


A primeira entrevista disponibilizada a vocês foi feita com a simpatissíma Samanta Holtz!

Aqui vai um pouco da biografia da autora, disponível no seu site pessoal:

"Nascida no Dia Mundial do Livro, Samanta Holtz aprendeu a ler sozinha aos cinco anos. Aos nove, ganhou um prêmio de redação em sua cidade, Porto Feliz, interior de São Paulo. Publicou em 2012 o romance histórico “O Pássaro”, premiado no “Destaques Literários” por votação do público e do júri técnico, seguido por “Quero ser Beth Levitt”, que teve a primeira edição esgotada em apenas três meses, e “Renascer de um Outono”, romance idealizado ainda na adolescência. Em agosto de 2014, foi nomeada "Escritora Humanitária" no I Prêmio Anita Garibaldi do Estado de São Paulo."


Feita via e-mail, Samanta respondeu todas as perguntas com muito entusiasmo:



- Como e quando surgiu a vontade de ser escritor(a)? Você já iniciou publicando em livros?


O amor pela escrita vem da infância. Aos 7 anos, comecei criando minhas próprias histórias em quadrinhos e dizia que, quando crescesse, eu trabalharia com o Mauricio de Sousa. Então, continuei escrevendo contos, poesias, pequenas histórias... até que, aos 14, comecei a escrever meu primeiro romance.



- Como foi a publicação dos seus primeiros livros? Você precisou investir na publicação?


Desde que concluí meu primeiro romance, incentivada pelos amigos e familiares que leram minha história, comecei a entrar em contato com grandes editoras em busca de uma oportunidade. Não fazia ideia de como era difícil ter um original avaliado por eles e, ainda mais, uma resposta positiva. E eu, claro, tinha muito ainda a amadurecer na escrita para conseguir meu espaço. Após anos criando, consegui a publicação com meu terceiro romance, “O Pássaro”. Existem várias formas de publicação, desde a tradicional, em que a editora se responsabiliza por todo o processo e seus custos, até a independente, em que o autor banca os custos da produção do livro – e, muitas vezes, cuida também da distribuição. Em meu caso, foi uma publicação tradicional, porém o investimento veio na aquisição de um grande número de exemplares – o qual, felizmente, consegui recuperar rapidamente com as vendas. Daí em diante, foi muita batalha, dedicação e participação em eventos para ampliar meu público e, em menos de um ano, outro livro meu (“Quero Ser Beth Levitt”) foi aprovado para publicação na Novo Século editora – desta vez, sem a necessidade de adquirir parte dos livros ou de qualquer outro investimento. Meu segundo entrou para a segunda edição após apenas três meses após o lançamento e, em seguida, veio também a segunda edição de “O Pássaro”, seguida por meu terceiro romance, “Renascer de um Outono” – o qual foi, na verdade, o primeiro que escrevi, na adolescência!

- Sobre o processo de publicação: Como foi a escolha da capa? Como foi montada a sinopse? Como você escolheu / conseguiu seus leitores-beta?

As capas foram feitas por profissionais contratados pela editora. Minha participação foi na escolha dos modelos que seriam trabalhados e aprovação de fotos, fontes, cores etc. A sinopse é feita por mim e aprovada pela editora. E, quanto a leitores-beta, desde meu primeiro livro, tenho duas leitoras que são as primeiras a ler e opinar meus trabalhos: minha irmã, Tatiana, e minha tia, Vaniete. Eu as chamo de “minhas duas fãs número um”. Elas continuam sendo minhas leitoras-beta e, até o momento, não tenho previsão para mexer no time, apesar dos vários pedidos (risos).

- Hoje você publicaria o livro em formato impresso ou apostaria nos meios digitais?

Em formato impresso, com certeza. Ainda acredito na força do livro tradicional, palpável. Claro que não podemos ignorar o avanço da tecnologia e dos novos hábitos dos leitores atuais, então, ter uma versão digital do livro também é sempre muito bem-vinda.

- Qual foi sua maior alegria e maior decepção depois do lançamento do livro?

A maior alegria é o retorno dos leitores, saber que minhas histórias estão se transformando em impulso para boas mudanças e inspiração para melhorias por dentro e por fora em suas vidas. Recebo depoimentos emocionantes de leitores que se sentiram tocados por meus enredos e personagens, e não há maior retorno do que este, pois é meu verdadeiro intuito no mundo como escritora. Quanto a decepções, acredito que a única seja a pirataria. É muito ruim ver nosso trabalho desrespeitado e distribuído por aí por pessoas que não valorizam nosso esforço e o quanto é difícil conseguirmos publicar nossos livros, quanto mais alcançar números significativos de vendas para que as editoras continuem apostando em nós.

- Como foi a venda e/ou a distribuição dos seus primeiros livros?

Ambas têm sido ótimas! A Novo Século possui distribuição em todo o país, porém talvez fosse interessante aumentar um pouco as quantidades, pois os livros têm esgotado rapidamente nos pontos de venda. As vendas também estão evoluindo bem, e comemoro cada avanço e cada novo passo dado nessa caminhada que sempre foi meu grande sonho.

- O que o autor deve cuidar no contrato da editora?

Acredito que são os mesmos cuidados que se deve ter com qualquer contrato; observar cláusulas de rescisão, se o autor seria prejudicado em alguma situação, ou se teria que arcar com algo que não concorda. Claro que são hipóteses, mas, ao assinar um documento, tudo deve ser levado em consideração. É importante ver se tudo o que foi combinado e conversado está ali, formalizado – direitos autorais, quantidade impressa na edição, distribuição, responsabilidades do autor e da editora e também questões de exclusividade ou multa, caso o autor tenha intenção de publicar em outras casas. Não existe mar de rosas; o autor e a editora devem chegar a um acordo satisfatório para ambos, e tudo o que é conversado deve estar ali, formalizado. 

- Como funciona a divulgação de seus livros?

A editora possui assessoria de imprensa que dá apoio através das redes sociais, divulgações e contatos com a mídia, porém, essa não é a maior parte dos esforços em divulgação – já que a assessoria atende à editora como um todo, e não a cada autor individualmente. Faço um trabalho amplo de divulgação em redes sociais e junto a blogs parceiros, os quais julgo fundamentais, especialmente no início da carreira do escritor. À medida que a carreira avança, a “publicidade espontânea” (publicações e divulgações feitas espontaneamente por leitores e comunicadores) aumenta, o que também é ótimo e ajuda a proporcionar o “boca-a-boca”. Participar em eventos literários também é ótimo para divulgar seu trabalho.

- Atualmente, você obtém sua renda totalmente da escrita ou tem outra profissão?

Ainda mantenho outro emprego de meio período. Minha intenção é, se Deus quiser, conseguir em breve viver apenas da escrita.

- Que dica você daria para um escritor iniciante?

O importante é sempre ter perseverança e determinação. O caminho de um escritor não é fácil, é preciso enfrentar muitos “nãos”, saber perder e também saber ganhar, para que os avanços não comecem a “subir à cabeça”. Tenha sempre em mente que estamos sempre evoluindo e melhorando, e que uma resposta negativa hoje pode ser, na verdade, um presente; às vezes não era o momento certo para tudo acontecer. Então, não desanime; continue estudando e se esforçando. Seu momento chegará e, quando chegar, é importante que você esteja preparado!

- Fique bem à vontade para acrescentar quaisquer coisas que achar interessante compartilhar.

Muito obrigada pelo convite à entrevista e sucesso J

- Você autoriza a publicação desta entrevista, na íntegra ou em partes, no blog pessoal da entrevistadora? Caso positivo, por favor, expresse-se de forma elucidativa.

Sim, autorizo!

===

Encontre Samanta no Twitter >> @SamantaHoltz

Samanta Holtz no Facebook >> Fan-page

Já leu ou quer ler algum de seus livros? Acesse as Fan-pages no Facebook >> O Pássaro, Quero Ser Beth Levitt, Renascer de um Outono.



E aí? Quem gostou levanta o bracinho! o/

Não só suas respostas me foram úteis, do ponto de vista prático do curso que estou fazendo, como me deram um estímulo extra para continuar encarando o processo de publicação.

Aguardem mais Entrevistas!

Até + ver!

Nu.

6 comentários:

  1. Oii, tudo bem??? Adorei a entrevista. Não conheço a autora, mas gostei de conhecer. me identifiquei bastante com ela. Também comecei a ler com 5 anos. Aprendi meio sozinha lá na biblioteca da minha cidade =D
    Desejo a ela todo o sucesso que pelo jeito, ela já vem tendo :)
    Um beijão
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Gih!
      Eu, ao contrário, comecei a escrever somente agora, depois de chegar quase no máximo da minha carreira de cientista e de ter desistido da carreira como bailarina profissional. Vou ralar muito ainda!
      Sobre a autora, eu recomendo! Estou lendo "O Pássaro" e estou gostando muito!
      Bj-Ka!.

      Excluir
  2. Querida Nuccia,

    Adorei a postagem!!! Muito obrigada por divulgar a entrevista com tanto carinho :)

    Beijos e sucesso sempre!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que nada, Sa!
      Muito obrigada por ter parado para me responder!
      Sucesso pra você também!
      bj-Ka!

      Excluir
  3. A autora me parece encantadora, iniciando a leitura de O passáro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo! Um amor de pessoa!!! Boa leitura!

      Excluir

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...