sábado, 24 de outubro de 2015

2 Resenha [livro] - O Demonologista

Olá, pessoas!

Está um dia lindo, Samhain se aproxima (ou Beltane para quem segue a roda Sul) e... Dando início aos trâmites da Semana Especial de Halloween do blog, temos resenha de livro de terror na área!!

A resenha de hoje faz parte do Desafio Literário Skoob 2015, cujo tema para o mês de outubro não poderia ser outro que não Terror/Horror!

O escolhido foi meu último livro de terror da literatura estrangeira adquirido em época pré-bienal. E, pasmem... Não é do Stephen King! Quem me conhece sabe que eu sou fã maluca do SK desde os 13 anos de idade! Quer ver alguns dos meus SK na estante? Acesse >> AQUI!

Pois bem, o livro da vez é O Demonologista, escrito por Andrew Pyper e publicado aqui no Bréziu pela lindérrima e maquiavélica Editora DarkSide Books.

Conhecendo a obra:


*Livro do acervo pessoal do blogueiro*

"A maior astúcia do Diabo é nos convencer de que ele não existe", escreveu o poeta francês Charles Baudelaire. Já a grande astúcia de Andrew Pyper, autor de O Demonologista (DarkSide® Books, 2015), é fazer até o mais cético dos leitores duvidar de suas certezas. E, se possível, evitar caminhos mal-iluminados.

O personagem que dá título ao best-seller internacional é David Ullman, renomado professor da Universidade de Columbia, especializado na figura literária do Diabo - principalmente na obra-prima de John Milton, Paraíso Perdido. Para David, o Anjo Caído é apenas um ser mitológico. Ao aceitar um convite para testemunhar um suposto fenômeno sobrenatural em Veneza, David começa a ter motivos pessoais para mudar de opinião. O que seria apenas um boa desculpa para tirar férias na Itália com sua filha de 12 anos se transforma em uma jornada assustadora aos recantos mais sombrios da alma. Enquanto corre contra o tempo, David precisa decifrar pistas escondidas no clássico Paraíso Perdido, e usar tudo o que aprendeu para enfrentar O Inominável e salvar sua filha do Inferno.

Este é um daqueles livros que você não consegue largar até acabar a última página, ainda que vá precisar de muita coragem para seguir em frente. O Demonologista ganhou o Prêmio de Melhor Romance do International Thriller Writers Award (2014), concorrendo com autores como Stephen King. Entrou em diversas listas de melhores livros de 2013, foi finalista do Shirley Jackson Award (2013) e do Sunburst Award (2014), chegou ao topo da lista dos mais vendidos do jornal canadense Globe and Mail e foi publicado em mais de uma dezena de países.

E agora, partimos para a resenha!


Tenho que começar dizendo com todas as palavras que esta edição lançada pela DarkSide é o meu mais novo livro-mascote. Que coisa mais linda e bem trabalhada, minha Deusa!!

Tida como um dos livros do gênero terror mais lidos da literatura contemporânea, a obra é um romance bem trabalhado, cheio de cuidado. Andrew Pyper soube aproveitar as descrições, divagações filosóficas e estudos acadêmicos teológicos com maestria, sem deixar o leitor "viajando na maionese" ou entediado.

A capa dura, toda vermelha com detalhes em preto e dourado, é feita de um material diferenciado que a deixa com uma textura de seda. Os detalhes citados são em alto relevo. E a lombada, que lindeza, imita livros antigos, que perderam lombada! Por ser capa dura, durinha mesmo, não há orelhas, mas também, o que tem vale por muitas.

Aí, você abre a primeira capa. E, com o perdão da palavra, taquiopariu!!! 

A diagramação interna não se restringe apenas a margear decentemente, colocar fontes de tamanho aprazível, uns desenhos nos inícios dos capítulos, e um papel bacana. A DarkSide caprichou: você encontra imagens completas e complexas que  representam a história contia no livro ou em que o livro foi baseado. Me lembram imagens que vi em "A Divina Comédia", de Dante Alighieri. Impactantes assim. Você encontra imagens na citação de abertura, na divisória entre as partes dos livros, entre as capas.



O título interno do livro em formato de cruz. Cara... que cuidado do autor e da editora...! Tô passada! Apesar desses detalhes, a diagramação básica se faz presente: fontes claras, em tamanho razoável, papel pólen (amarelado), margens justificadas, início de capítulo na página seguinte bem demarcado. Achei exatamente DOIS erros de digitação. A única coisa que me "irritou" um pouco foi todos os diálogos serem entre aspas ao invés de travessão. Mas, isso é um artifício pessoal de cada autor.



A história narra a saga do protagonista, o professor David Ullman, um acadêmico literário ateu e cético na busca de sua filha Tess, supostamente suicida. Ullman acredita seriamente que Tess está viva e pode ser salva do domínio d'O Inominável, se ele conseguir cumprir o que o demônio deseja: documentar sua existência. Isso poderia ser fácil se não houvesse um assassino profissional contratado para perseguir Ullman e pegar as provas que o professor juntou, se sua esposa não estivesse tendo um caso e se sua melhor amiga não estivesse morrendo.



Todo o livro foi escrito baseado no livro "O Paraíso Perdido" de John Milton, uma epopéia poética no qual ele próprio descreve a queda do homem, a tentação de Lúcifer, o inferno e seus habitantes, como uma reformulação dos escritos bíblicos e de Dante, só que da perspectiva protestante. Todas as citações possuem notas de rodapé, bem como quaisquer traduções ou explicações que a editora julgou necessária par ao completo entendimento da obra. Toda essa explicação é fornecida pelo próprio autor (demonstrando que ele mesmo também é um estudioso das obras de Milton), em um posfácio sobre Milton, sua obra, sua vida e inspirações de outros em sua obra.

O clima de tensão da história é crescente ao longo do livro. Coisas absurdas, nojentas, sérias, tristes, previsíveis, imprevisíveis, impossíveis. Uma obra que te agarra e não quer te soltar nem mesmo quando você finda. Mirabolante e astuciosa; incrível e lógica, a ponto de dar inveja.

Por tudo, acho que é desnecessário dizer que recomendo a leitura para todos os amantes do terror. Para quem não ama terror, mas gostaria de se aventurar em um livro do gênero, vai fundo! Você não vai se arrepender.

Se quiser conhecer mais a fundo o autor e a obra, invade o site da DarkSide >> O Demonologista.


Sobre as citações que eu sempre faço e deixo aos leitores aqui, tenho a dizer que dessa vez atingi um recorde, um ápice de trechos escolhidos. Foi impossível para mim escolher os 5 ou 6 melhores, de forma que, exclusivamente desta vez, divulgarei todas as 13 marcadas (e aviso que foram apenas 13 porque eu me obriguei a não marcar mais)...








Espero que tenham gostado. Valeu mesmo a pena ter este livro na minha coleção terrorífica.

Boa leitura!

Até + ver!





2 comentários:

  1. Então, posso dizer que eu li esse livro pela tua resenha (babem eu li antes pobre mortais hahahaaahahahahahah). E o livro é exatamente isso, maravilhoso, é sombrio, não chega ser um terror dos brabos ou dos bobos, é algo sério com conteúdo, denso, que poderia ser verdadeiro. O assunto... Demônio assusta e instiga a querer cutucar a escuridão para ver mais... Tu descascou o livro, não sei se a minha chegará no dedão dos pés da sua, mas sai em novembro.... Beijos da sua BFF esguicho!

    www.clubedolivro15.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Giuli!
      Hahahaha... n pode sair espalhando que eu te passei a resenha antes da publicação! Vai dar inveja nos leitores!!! XD
      Obrigada por estar sempre aqui! To te devendo milhões de visitas!
      um beijo!

      Excluir

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...