sexta-feira, 29 de julho de 2016

2 Resenha [livro] [book-tour] - A Chama da Esperança

Olá, pessoas!

Todo mundo já está mais do que acostumado com as sextas-feiras aqui no blog. Tanto que até nem preciso dizer que é dia de resenha de livro nacional!

But...!!! Essa resenha é diferentona! Hoje vamos resenhar um livro cujo book-tour, organizado pela autora, foi anunciado aqui ano passado eu era a última da lista, pô!A Chama da Esperança - Parte 1: A Princesa Renegada, da autora M. V. Garcia.

O livro do tour é a versão lançada de forma independente. Porém, ele foi relançado pela Editora Arwen (parceiríssima) este ano lá na Livraria Martins Fontes-SP, capa novinha, lindérrima e tal.

Vamos conferir?

A Chama da Esperança - Parte I: A Princesa Renegada
Editora: Independente / Arwen
Gênero: Fantasia
Ano: 1ª - 2015 / 2ª - 2016
396 p.

*a capa se refere à 1ª edição*

Sinopse: 
Uma história de guerra, amor e esperança em um mundo fantástico. Kaira é uma jovem feiticeira de 15 anos que vive em um pequeno vilarejo da recém-formada República. Ela mal se lembra da guerra civil entre humanos e feiticeiros no reino hostil de Willford que, há exatos 15 anos, quase exterminou sua raça. Mas quando Willford volta a atacar, Kaira se vê envolvida no centro de uma trama cercada por segredos do passado, e é a única que pode cumprir uma difícil e importante missão: unir os cinco clãs feiticeiros da República em um único e poderoso exército.


Quando eu leio, tenho uma tendência de transformar palavras, cenas e personagens em imagem e ação lá dentro do meu crâniozinho. Acho eu que todo mundo faz assim. E quando você lê e suas imagens e ações parecem um anime, aqueles desenhos japoneses?? Irado, né?!


A chama da esperança já começa cheio de ação. A rainha Rosaria, uma grande feiticeira do fogo está correndo, fugindo dos humanos que a caçam em meio a uma guerra contra os feiticeiros. Em seus braços, uma linda menininha. Mas Rosaria é atacada pelos Falcões Negros, um grupo de feiticeiros malignos e acaba falecendo ao prender os feiticeiros e salvar sua filha.

Com o sumiço dos Falcões, a guerra termina, há um acordo de "paz": os humanos ficam no reino de Willford e os feiticeiros são segregados ao país vizinho, a República Unificada dos 5 Grandes Clãs Feiticeiros. A República é dividida em 5 cidades capitais, além dos pequenos povoados: Flameria (capital do fogo), Prime D'Acqua (capital da água), Rockaxe (capital da terra), Aluminia (capital do trovão) e em algum lugar das montanhas Val Lyra ficava a capital dos feiticeiros do ar. Os clãs ficam separados uns dos outros e evitam se misturar.

"Eu... sempre me achei forte. Sempre achei que poderia proteger o vovô e a professora. Por isso mesmo nem ia às aulas teóricas. Achava uma perda de tempo. Eu fui uma tola. Quando vovô precisou de mim, quando todos em Kisha precisaram de mim... eu não pude salvar ninguém. Não pude fazer anda."

Mas, infelizmente, 15 anos depois, quando o mundo é razoavelmente satisfatório, os feiticeiros negros conseguem escapar do selamento, o feitiço feito por Rosaria. E então, buscam com Elliot Seres, o atual primeiro ministro de Willford, a dívida que não puderam fazê-lo pagar na primeira guerra: território. Além disso, precisam da pedra elementar do fogo, a famosa "Chama da Esperança", que Rosaria usava e agora está com sua filha. E, assim, reiniciam a guerra entre humanos e feiticeiros de forma habilidosa. E começam exatamente pelo povoado de Kisha, onde mora nossa protagonista.

É assim que conhecemos Kaira Seres, a menina de 14-15 anos que não gosta de estudar, ama voar nas costas de uma fênix e que amadurece terrivelmente ao longo do livro. Juntamente com vários amigos, uns de seu povoado, outros que surgem ao longo do seu caminho, ela parte como uma emissária da paz, uma espécie de parlamentar, para unificar os 5 clãs de feiticeiros, retomar Flameria que foi ocupada por humanos e acabar de vez com a nova guerra. Quem sabe até assumir seu lugar de direito no trono de Willford?

Mas as coisas não são fáceis, é preciso habilidade para convencer os representantes dos clãs a se unirem, para driblar o exército de humanos que marcham destruindo cada capital da República, para não ser capturada pelos Falcões Negros, para não se afogar no sentimento de vingança contra o capitão de cabelos brancos que assassinou seu avô. Será que ela consegue?

"- Essa luta também é nossa! Viemos aqui com a intenção de unificar os feiticeiros em prol de lutar contra este inimigo. Não vou dar as costas agora e fugir - frisou Kaira.
- Vocês podem morrer aqui. Vão perder suas vidas por uma cidade que nem é sua? - Kadamari olhava direto em olhos.
- É uma cidade de feiticeiros sendo atacada por humanos. Também é nossa cidade - respondeu Kaira sem nem piscar."


O livro é lotado de personagens, mas com um detalhe: você não se perde, nem esquece o nome de ninguém, pois todos são importantes para a história. Kaira é uma adolescente que mata aulas e não gosta de estudar até cair de para-quedas na situação de descendente real de Willford. Aí ela não só percebe como perdeu tempo não indo às aulas, especialmente as de treino e de história da República, como passa a aprender muito com o tempo e com observação dos fatos.


Seus amigos que a acompanham tem personalidades distintas. Garo era seu vizinho no povoado, um bom e centrado lutador e tem uma enorme queda por Kaira. Joseph é filho do atual governante de Flameria, não tem a menor vocação para política e sabe de esconderijos como ninguém. Christine é a neta da representante de Prime d'Acqua, tem grandes poderes, uma inteligência rara e porte digno. Adill, sua tia/irmã/professora é filha de grandes estrategistas, muito respeitada e perspicaz.

Além destes, vários outros personagens são importantes e são apresentados com o decorrer da história, sem deixar nenhum furo ou serem descartados: Yukiko (a atual rainha, prima de Rosario), o capitão Hawk Kyrie (chefe do 1º batalhão de Willford, famoso humano caçador de feiticeiros), os Falcões Negros e outros.

Sobre a parte técnica, começando pela capa. As capas das duas edições são bem parecidas, então farei uma descrição da capa da 1ª edição, ja que eu a tive em mãos, e apontarei as diferenças. Descrição #pracegover: É uma única imagem, tendo em plano central, bem destacada, o desenho em estilo anime da protagonista, da cintura pra cima. Ela é uma adolescente de longos cabelos louros, presos no alto da cabeça com em duas marias-chiquinhas, grandes olhos vermelhos e usa uma roupa também vermelha. Suas mãos estão próximas a um grande broche de pedra vermelha preso na roupa, próximo ao coração. Ao redor da garota, chamas flamejantes são o fundo da capa. O nome da autora está em fonte branca na parte superior e o título na mesma cor na parte inferior.


A capa da 2ª edição, feita pela Editora Arwen, perdeu um pouco do efeito anime, se tornando um desenho de traços mais realistas. A adolescente está um pouco mais afastada, de forma que podemos ver um pouco da parte inferior da túnica vermelha que usa. O plano de fundo deixou de ser apenas chamas para mostrar uma planície em chamas.

A diagramação da 1ª edição é bem simples. Não temos desenhos nas páginas, nem nos inícios de capítulos. Cada capítulo começa com número e título. As folhas são brancas, fontes em bom tamanho, poucos erros foram encontrados.

Por fim ou quase, venho trazer a vocês qual foi a minha opinião sobre o livro. Tenho de enfatizar que a autora foi bem original no seu intento. Ela escreveu um livro sobre um reino país local mundo completamente novo, com personagens impactantes, e uma trama empolgante, cheia de ação e aventura em um estilo que nunca vi antes.

"Já ouvir falar em 'Os inimigos dos nossos inimigos são nossos amigos'? Pois bem, Majestade, vamos fugir de Alzoria e pedir ajuda aos feiticeiros."

Não, tá... todo mundo já viu livros de fantasia, mas tipo, livros de fantasia anime? Nunquinha! E dá pra perceber de longe que foi esta a intenção da autora. Ela deu nomes e características aos personagens que são típicos desses desenhos irados, como cores de cabelos não usuais, poderes cósmicos e fenomenais e outros. Deu vida, história e intento a todos sem fazer com que o livro ficasse chato.

O começo demorou um pouquinho pra engatar a marcha, pois eram alguns fatos históricos e o começo da apresentação da personagem, mas assim que as invasões começaram a leitura simplesmente disparou!

A história tem fundamento, tem boas explicações, o texto e os diálogos são bem intercalados. Alguns recursos usados incomodaram um pouquinho no início (letras em caixa alta para simbolizar gritos), mas só.

Gostei muito do uso de ações dos personagens para problematizar preconceitos contra alterações genéticas, de poder, de 'raça'. Gostei de ver que a protagonista amadurece a cada situação que passa, que aprende com o que observa, tira suas próprias conclusões e que, diante da exposição de seus próprios preconceitos, tenta melhorar.

E o final? Ela termina no meio de uma revelação ultra-importante!!! Caracas...! Como vou sobreviver até ler o segundo livro?! Agora estou eu aqui, querendo saber que raios tem feiticeiro de trovão novo, sim! acontece. Enfim, é uma leitura muito recomendada a quem curte fantasia. Aos fãs da cultura do extremo oriente, de animes e afins, mais indicado ainda!


O segundo livro já foi lançado e pode ser adquirido no site do Clube de Autores. A capa dele foi feita no mesmo estilo da edição da Editora Arwen, assim os leitores tem as duas obras em sua coleção com capas combinando. Descrição rapidinha: no segundo volume, o protagonista da capa é o capitão Hawk Kyrie, em seu belíssimo traje negro e prata de batalha, tendo ao fundo um céu azul com relâmpagos. Tá um arraso!


Você sabia que todas as artes dos livros estão disponíveis em um livro para colorir? E que os livros estão sendo transformados em um anime

Pois é!... Todo um trabalho envolvido! Acho que vai ficar show! Só acho...!


o livro na REDE:



ONDE COMPRAR:

 


Sobre a Autora:

M. V. Garcia é Assistente Administrativa, moradora do interior do RJ. É formada em Artes Visuais e cursa atualmente Pedagogia. Conhecida também pelo pseudônimo Hidaru, é escritora, cosplayer, desenhista freelance e fã colecionadora de livros, RPG, games, animes e mangás. Sempre gostou de escrever histórias, fanfics e textos sobre a cultura geek e pop. A Chama da Esperança é seu livro de estreia no ramo profissional.


 


Uma leitura bem diferente do que estou acostumada, mesmo sendo de um dos meus gêneros preferidos! Foi ótimo!

Muito obrigada pela oportunidade, sua linda! Foi um prazer imenso participar do tour e poder ajudar você na sua jornada!

E vocês, curtem anime? E uma literatura diferenciada? Comentem aí pra gente!

Até + ver!


2 comentários:

  1. Oi, Nu! Eu vi esse livro e pensei: parece anime. Que legal descobrir que de fato é! Eu amo fantasias e o enredo desse livro me atraiu bastante. Vejo um pouco de Avatar nele, com essa coisa das tribos/cidades e dos elementos. Gostei mais da capa da Editora Arwen (achei a outra muito cara de mangá) e a-mei a capa do segundo livro. Tá na lista (acho que vou comprar na bienal).
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Oi Nu!
    Amei gente, que coisa mais fofa esse livro! A história parece ser uma delicia de acompanhar, e quanto as capas, as duas são incríveis ao seu modo, sendo assim não consigo escolher entre elas, as duas são lindas de morrer e me fariam ler a obra.
    Meus parabéns a autora por todo o trabalho e criatividade e a editora Arwen que esta mandando muito bem em todos os quesitos!!
    Amei a resenha e se tiver oportunidade quero muito ler a obra.

    Beijokas

    ResponderExcluir

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...