sexta-feira, 23 de setembro de 2016

15 Resenha dupla [conto] - Ode de Sangue

Olá, caros leitores e escritores!

Hoje estamos aqui para fazer a resenha dupla do conto Ode de Sangue, escrito pela autora parceira Nana Garces.

As opiniões serão dadas por mim, O Escritor Randômico, um dos resenhistas do blog

E por mim, a louca da Nuccia por trás de tudo! Vai ser fácil identificar quem está falando! Ou seria, escrevendo? Hummm.... 

Este escrito me deixou deveras pensativo sobre a vida atual e passada da humanidade, certamente exigiu da autora muita pesquisa nas áreas de história e filosofia, mas antes que eu possa dar a minha opinião vamos à sinopse.

Cabe salientar que uma resenha dupla significa apenas duas pessoas comentando sobre a mesma leitura, mas uma não influenciou a opinião da outra. Assim, teremos duas avaliações independentes, ok?

Ode de Sangue
Autora: Nana Garces
Editora Essência Literária
Gênero: fantasia 
Formato: conto longo
Ano: 2016
73 p.

Equipe Editorial:
Edição: Daiane Azevedo e Danusia de Paula
Revisão: Evelyn Santana
Capa e Formatação: Icaro Trindade

Sinopse:
Com quase quatrocentos anos, a Vampira Madalena busca a salvação de sua alma vivendo e trabalhando dentro de um monastério católico. Diferente do que parecia natural, essa vampira está acostumada com a religião e seus símbolos. Foi apenas quando se depara com alguém de fé verdadeira que Madalena sente a maldição de sua raça arder sob a pele. Colocada em uma situação de vida ou morte, ela apenas tem um pedido, que ela possa contar sua vida para alguém, para que sua existência como humana e seu despertar para o dom da noite não desapareça com sua morte. Narrado em primeira pessoa, Madalena fala um pouco de como era a Itália do séc. XVII, descreve suas dificuldades e suas paixões pela arte, leitura e música. Mesmo antiga, sua humanidade e amor pela raça humana apenas crescem, e é com esse pensamento que Madalena narra sua experiência enquanto mulher e religiosa.

*Obra cedida pela autora no formato digital/PDF para resenha referente a parceria 2016. 
As opiniões são exclusivamente nossas.
Não houve nenhum tipo de intervenção em nossos comentários.*

 



O livro conta a história de Madalena que é uma freira, mas também vampira, além de ter paixão pela arte de seu tempo. Sua história se passa parte nos dias atuais, parte no século XVII, passando por pequenos detalhes de sua vida e desventuras de sua juventude e consequentemente suas escolhas equivocadas. 

Contando com 9 capítulos, a obra narra a história de vida da vampira e freira Madalena que atualmente vive em um monastério. Sua história, no entanto, começa anos, séculos antes e só começamos a descobri-la mais tarde. 


Madalena se acha um monstro e uma juíza ao mesmo tempo, por escolher tirar a vida daqueles que mereciam perdê-la. Além disso, sempre teve uma ligação forte com a religião, ou como ela costuma afirmar "com a vontade de ser salva".


"Quando me aproximo do altar e o vejo de perto, como tantas outras vezes eu vi a imagem de Cristo crucificado, repenso as tantas mortes que trago dentro de mim. A vida daquelas pessoas que precisei tirar para me alimentar e mais... para me defender."

É bom deixar claro que ir muito além desta premissa já é spoiler e consequentemente vocês não terão a possibilidade de apreciar a obra integralmente. Mas posso adiantar que religiosos de mente fechada não deveriam ler este livro, pois ele contém assuntos delicados para a instituição da religião. No entanto, abre um caminho largo para a discussão de filosofia e qual seria o caminho para aqueles excluídos da sociedade através dos tempos. Obviamente, o fato da contradição na premissa da história se trata de uma alegoria, esta representa o ontem, hoje e o amanhã. 

O que mais poderia adiantar sem que fosse spoiler? Vejamos... Madalena trabalha em um hospital dentro do terreno do Monastério. Lá, ajudava a curar e a aliviar a dor dos moribundos. Infelizmente, as coisas começam a mudar quando ela: 1- é assediada pelo padre; 2- faz o padre tarado de jantar; e 3- o novo padre é um problemaço, daqueles que os vampiros não gostam de jeito nenhum.


Antes que o padre caçador possa cumprir sua tarefa, Madalena faz um pedido que não pôde ser ignorado. E então, conhecemos a fundo a sua história. E que história! 


"Quando me alimento de seres humanos, conheço sua história, e eles vivem para sempre em meus pensamentos. Eu não quero morrer sem antes estar nos pensamentos de alguém. (...) então lhe peço, como a humana que já fui um dia, e como a vampira sedenta por salvação que sou, não e deixe sumir sem antes deixar a minha história para alguém nesse mundo."

Outra coisa que me incomodou muito foram as descrições recorrentes dos personagens, ao menos pra mim uma vez já seria o suficiente:
"...os seus olhos verdes esmeralda..."; "... sua pele pálida... era lindo..."

Isto me tirou um pouco da história, mas abstraindo isto, seria ótimo. Mas como o meu intuito era fazer uma resenha, não poderia deixar nenhum aspecto da narrativa de fora.


Madalena narra todo o livro do seu ponto de vista. Logo, todo o conto é em primeira pessoa, então sabemos dos mais profundos desejos e sentimentos da vampira, mas não nos aprofundamos no íntimo de mais nenhum personagem. 

Achei a narrativa bem cadenciada, com muitos detalhes, mas não me senti cansada durante a leitura, nem entediada. Dá para perceber o cuidado da autora com a parte histórica do Renascimento e das épocas posteriores, além de todo o pensamento filosófico que a personagem expõe e nos faz pensar com ela.

No entanto, existem aspectos mais profundos e pontos de reflexão apresentados pela obra que não serei capaz de aborda-los por falta de conhecimento sobre os assuntos. São pontos polêmicos da religião e ética, incluindo estupros e a falta de virtude do ser humano. Mas creio que a abordagem da autora foi bem apropriada para a época na qual a historia se passou, por vezes penso que esta situação cabe até mesmo nos dias atuais.


Muito do que foi apresentado condiz com o contexto histórico, o que só acrescenta na história. Nana foi feliz ao escolher o tema e desenvolvê-lo relativamente bem, conseguindo inclusive dar o tom narrativo, tom de voz, adequado à personagem, de forma a confirmar sua educação secular. Em outras palavras, pela forma que a personagem narra, percebe-se facilmente os 400 anos de idade e aprendizados que carrega.

Mas vamos às considerações sobre o texto:

O modo de como a escrita decorre me parece fraca, ainda que o roteiro seja bem estruturado. Os narradores e personagens falam sempre da mesma maneira. Muitos artigos depois da virgulas e "que's" dispersos pelo texto. 


Ao decorrer da leitura identifiquei poucos erros na digitação que estão à disposição da autora se assim desejar, todos estes erros ortográficos eram extremamente honestos, nada que prejudique a leitura.

A motivação dos personagens foi bem construída, mas algumas ações me pareceram inverossímeis, contrastando com a maioria do texto, mas se você é um leitor iniciante não irá se incomodar com estes detalhes, nem ao menos percebe-los.

Em alguns pontos, a construção das orações e dos pensamentos narrativos poderia ter sido mais simplificada: achei que muitos pronomes pessoais foram repetidos, bem como algumas expressões verbais. Mas isso cabe ao revisor. Erros de digitação foram muito poucos e nenhum erro grosseiro de português.

No PDF enviado, não vi problemas com o tamanho da fonte. As margens estão justificadas. Torcendo para a versão impressa ter papel adequado. Descrição da capa #pracegover:  a capa é toda em tons escuros, variando do bordô (um vinho escuro, ao estilo sangue venoso, com pouca oxigenação - meu lado bióloga aflorando...) ao preto puro e simples. Em plano único, mostra a imagem de uma moça usando uma túnica com capuz, com olhos semi-cerrados, transmitindo a sensação de arrependimento e penitência. Título em fontes brancas na parte inferior.

Vamos às minhas conclusões finais: o roteiro é bom, premissa excelente, mas a técnica de escrita ainda é fraca, bem como a execução que deixou a desejar.

Voz do escritor: 4,0
Roteiro: 7,0
Ambientação: 5,0
Coerência: 9,5
Capa: 8,0
Diagramação: 7,0

Então é 5,75! Em resumo: A história vale a pena apesar da técnica narrativa pouco apurada. Demorei pra completar as 60 paginas do conto por conta da falta de fluidez do texto. Espero ler os próximos livros da autora para acompanhar a sua evolução.

Talvez por ter lido A Divina Comédia, do ilustre Dante Alighieri, e estar acostumada com livros clássicos de escrita rebuscada, esta leitura tenha sido boa pra mim. Apesar dos detalhes acima, a premissa é ótima e a forma como foi desenvolvida é um ponto a favor da autora. É um tema comum (vampiros), mas sob uma nova ótica. Soma-se o fato de que Madalena não é uma daquelas vampiras que se jogam, que usam da sedução a cada 5 segundos. Ela é chique, môbem.

Já tinha acompanhado o conto durante sua primeira escrita, por postagens semanais no blog Livros & Tal, então pra mim, a leitura fluiu rapidinho, li em 3 dias. Da minha parte, o conto leva 4 lindas bruxinhas.

Recomendo a quem gosta de fantasia, especialmente quem curte vampiros e também a quem é chegado a um romance.



Sobre a AUTORA:


Contato:

E-mail>> nana.myv@gmail.com

    



Ficou interessado no livro? Ou ainda na autora? Visite o Site, Facebook da autora, prestigie e troquem uma ideia.

Gostaram desta resenha? Querem ver mais do Escritor Randômico? Visitem meu blog e sejam felizes, lá você encontrará dicas sobre o que aprendo escrevendo, assuntos gerais e algumas resenhas também!

Abraços randômicos para todos e até a próxima resenha!



Gustavo Vegas, o Randômico
Autor, blogueiro, gestor comercial








Espero que tenham gostado da nossa resenha. 

Desejo a Nana todo o sucesso do mundo! E que sua estadia da Essência Literária seja longa e renda muitos frutos!

Comentem aí: conheciam o conto? Gostaram da premissa? O que vocês acharam?

Boa leitura!

Até + ver!






*SORTEIO ATIVO*
(clique na imagem para ser direcionado)


15 comentários:

  1. Hey, Nu!
    Adorei a ideia de fazer a resenha "a dois" kkk. Eu adoro a temática "vampiros", mas confesso que já estou cansada da abordagem comum que vemos por aí. Só essa capa já me deixou apaixonada, quando você começou dizendo que além de vampira a personagem é freira, entrei em choque! kkk. Quero pra ontem!!
    Adorei a premissa e estou disposta a passar por cima dos detalhes, para ler essa história! rsrs. A resenha de vocês ficou ótima! Já anotei aqui e com certeza lerei em breve!
    Mil beijokas :*

    ResponderExcluir
  2. Afff vocês querem me deixar doida! Amo Vampiros e essa ideia de resenha a dois as vezes faço no meu blog também. É legal porque as vezes o outro enxergou algo que pra vc passou despercebido ou vice e versa.
    Adorei e qjá que ler.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra ser bem honesto eu não tenho preferência por um gênero específico... Mas gostei mesmo da história.

      Excluir
  3. Oi, achei bem interessante duas pessoas resenharem a mesma historia, pois um vê algo que o outro não observou e vice-versa. Achei a premissa do conto bem diferente de tudo que já li e fiquei bem curiosa para ler, principalmente depois de ler a resenha de vocês dois, até porque amo historias com vampiros e que contenham aspectos historicos. Dica anotada.
    bjus

    ResponderExcluir
  4. Oi Nu...
    Muito interessante a sua resenha, que bom que vocês gostaram do conto, apesar dos adendos negativos.
    Acho também muito legal resenhas duplas, mas no caso aqui, achei um pouco confuso e não consegui identificar direito de quem era a opinião de quem, só ficou realmente claro no final :/

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, May!!!
      Nós tentamos diferenciar pelo tipo de fonte usada na resenha, mas dado anotado, iremos mudar a cor também, assim a diferença fica bem clara!!
      Obrigada pela ajuda!!!
      beijo!!

      Excluir
  5. Oii,

    Muito interessante essa história. Nunca li nada parecido e nem muito menos com uma personagem vampira e freira. Realmente é um diferencial. Com certeza leria um conto assim, para descobrir mais da história e da Madalena também.

    beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá Nuccia, adorei a resenha...essa ideia de resenha a dois é fantástica, assim fica bem divertido ressaltar alguns pontos onde para um dos leitores foi mais legal que para o outro...adorei.

    Não conhecia a obra e fiquei interessada, valeu a dica!

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se pudéssemos faríamos todas duplas, ficou muito bom mesmo! 😉

      Excluir
  7. Oi Nu
    Achei a premissa do livro legal demais, diferente de tudo o que já vi.
    Acho que as partes que te incomodaram me incomodariam também.
    Adorei a resenha
    Beijuh

    ResponderExcluir

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...