quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

46 Resenha [livro] - 1808, de Laurentino Gomes

Alou, pessoas!

Pouco mais de 15 dias corridos em 2016 e a segunda resenha do ano também é Literatura Brasileira!

Eu sinto, lá no fundo, e também aqui na superfície da pele essa emoção, essa sensação de que este será um ano verde e amarelo muito mais que 2015...

"Mas chega de enrolar, mulher! Conta logo qual é o livro!"

Ok, ok, vocês venceram... Hoje, resenharei um livro que me foi emprestado pela coleguinha lá no meu trabalho (um beijo, Alê!) e que será muito bondosa ao me emprestar os demais livros da coleção (mais um beijo, Alê!!): 1808, do autor Laurentino Gomes.

Antes de passar às formalidades, conheçam um pouco da obra pela sua sinopse:

1808
Gênero: livro-reportagem / história
Editora: Planeta
Ano: 2007

*Livro emprestado pela amiga da blogueira*

A fuga da família real portuguesa para o Rio de Janeiro ocorreu num dos momentos mais apaixonantes e revolucionários do Brasil, de Portugal e do mundo. Guerras napoleônicas, revoluções republicanas, escravidão formaram o caldo no qual se deu a mudança da corte portuguesa e sua instalação no Brasil. O propósito deste maravilhoso livro, resultado de dez anos de investigação jornalística, é resgatar e contar de forma acessível a história da corte lusitana no Brasil e tentar devolver seus protagonistas à dimensão mais correta possível dos papéis que desempenharam duzentos anos atrás. Escrita por um dos mais influentes jornalistas da atualidade, '1808' é o relato real e definitivo sobre um dos principais momentos da história brasileira.

É hora da resenha, mainfriends!




Como estamos muito acostumados com literatura ficcional, ler uma não ficção pode ser estranho. Um livro de não ficção e, ainda por cima, com enredo totalmente histórico é demais!

Tem razão! É demais mesmo! Foi espetacular!



1808, escrito pelo jornalista e pesquisador Laurentino Gomes, é o resultado de 10 anos de pesquisa a documentos históricos sobre a vinda da família Real Portuguesa ao Brasil, fugindo do confronto com o então todo poderoso General Napoleão Bonaparte, líder da França.

Mas enganam-se os leitores que acham ser este livro um documento chato cheio de palavreado estranho, narrando fatos históricos que poucos se interessam. O livro tem uma cadência belíssima, uma linguagem bem acessível e é escrito com primor literário que me fez, literalmente, beber as páginas. De canudinho!

A história é se inicia exatamente com a fuga da nobreza e realeza de Portugal, o que os levaram a fazer isso, a documentação envolvida, as tramoias, os segredos. A narrativa aponta nomes e datas, descreve trajes, lugares e sensações. 


Passa por figuras históricas relevantes, como os Reis de Portugal antes da Regência de D. João VI, o arquivista-real, o repórter pároco do RJ, a Carlota Joaquina, bem como por locais de importância no contexto: Salvador, o primeiro porto a receber a família real, onde foi assinada a Abertura dos Portos, Rio de Janeiro, onde a família real se estabeleceu e se tornou a capital da agora nação (Reino Unido), Portugal após o abandono da família real, entregue às tropas francesas e à sociedade resistente a invasão e até mesmo as primeiras revoltas europeias contra o avanço do Império Francês, iniciadas no antigo Reino da Espanha.

O livro não embeleza os fatos, nem ignora os abusos financeiros. Há muitas páginas dedicadas ao sistema financeiro da colônia antes e depois da chegada de D. João, inclusive fazendo conversões monetárias para a atualidade a fim de que pudéssemos ter uma melhor clareza do valor absurdo que era desperdiçado. Há também relatos pessoais dos estrangeiros em terras brasileiras e vários documentos sobre a escravidão, o tráfico, sua importância exagerada para o governo português e uma hierarquia própria dada pelos "donos" aos seus "bens".

O livro conta com 30 capítulos, incluindo uma extensa bibliografia com todos os documentos acessados aqui no Brasil, em Lisboa, na Inglaterra e nos EUA. Tendo sua primeira edição lançada em 2007 pela Editora Planeta, a edição que li (2ª edição, 19ª reimpressão) da mesma editora apresenta uma capa em tom bege, como um daqueles mapas em pergaminhos antigos. Ladeado por arabescos comuns à época, o título é enormemente bem destacado, tendo um subtítulo perspicaz e cativador logo abaixo, seguido da foto mais difundida de D. João VI.


A diagramação interna da obra é extremamente bem caprichada e didática. Há uma página com uma linha do tempo, várias páginas em papel fotográfico, com figuras e/ou imagens reproduzindo telas e fotos, todas em cor, com as devidas fontes, autores e locais onde estão em exibição. Há ainda um mapa que mostra o caminho da viagem dos navios com toda a nobreza fugitiva. 

Margens justificadas, letras em um tamanho perfeito, e páginas, apesar de não serem em papel pólen, são ligeiramente mais amareladas que o branco usual. Por ser um livro de conteúdo histórico e didático, o início dos capítulos não tem uma imagem espalhafatosa, sendo simples e prático, o que não deixa de ter lá o seu mérito.

Erro de digitação ou de português? Nem! Por já ter sido bem editado, vendido, reimpresso, acho que as revisões só tem a acrescentar informações relevantes ao invés de acharem erros.

Um livro feito por um historiador e jornalista, para historiadores, jornalistas, estudiosos da monarquia, e leitores comuns que não possui um texto chato e formal demais para entediar quem o abre. Não é atoa que fez tanto sucesso.

Obviamente, se você é um daqueles leitores que não suportam ouvir falar de história, quem dirá de histórias coloniais do Brasil, você não vai gostar do livro. Mas, olha só... Se você é chegadinho em um romance de época, por que não tentar ler uma "fofoquinha" de época?

Se eu recomendo? Sério que preciso responder? XD

Se eu achei partes importantes e quotes? Vocês estão abusando... Claro, né!






Conheça o autor:


BIOGRAFIA



Laurentino Gomes, paranaense de Maringá, é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo. Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná, fez pós-graduação em Administração pela Universidade de São Paulo e cursos de especialização na Inglaterra e nos Estados Unidos. Em 32 anos de profissão, trabalhou como repórter e editor para alguns dos principais veículos de comunicação do Brasil, incluindo o jornal O Estado de São Paulo e a revista Veja. Com o livro 1808, ganhou o Jabuti, considerado o mais tradicional prêmio de literatura do Brasil, em duas categorias: de melhor livro-reportagem e de Livro do Ano de não ficção. A obra recebeu também o prêmio de Melhor Ensaio, Crítica ou História Literária de 2008 da Academia Brasileira de Letras.

Outras obras do mesmo autor:


1822
Gênero: livro-reportagem / história
Editora: Nova Fronteira
Ano: 2010

Nesta nova aventura pela História, Laurentino Gomes, o autor do best-seller '1808', conduz o leitor por uma jornada pela Independência do Brasil. Resultado de três anos de pesquisas e composta por 22 capítulos intercalados por ilustrações de fatos e personagens da época, a obra cobre um período de quatorze anos, entre 1821, data do retorno da corte portuguesa de D. João VI a Lisboa, e 1834, ano da morte do imperador Pedro I. 'Este livro procura explicar como o Brasil conseguiu manter a integridade do seu território e se firmar como nação independente em 1822', explica o autor. 'A Independência resultou de uma notável combinação de sorte, acaso, improvisação, e também de sabedoria de algumas lideranças incumbidas de conduzir os destinos do país naquele momento de grandes sonhos e perigos'.



1889
Gênero: livro-reportagem / história
Editora: Globo Editora
Ano: 2013

Nas últimas semanas de 1889, a tripulação de um navio de guerra brasileiro ancorado no porto de Colombo, capital do Ceilão (atual Sri Lanka), foi pega de surpresa pelas notícias alarmantes que chegavam do outro lado do mundo. O Brasil havia se tornado uma república. O império brasileiro, até então tido como a mais sólida, estável e duradoura experiência de governo na América Latina, com 67 anos de história, desabara na manhã de Quinze de Novembro. O austero e admirado imperador Pedro II, um dos homens mais cultos da época, que ocupara o trono por quase meio século, fora obrigado a sair do país junto com toda a família imperial. Vivia agora exilado na Europa, banido para sempre do solo em que nascera. Enquanto isso, os destinos do novo regime estavam nas mãos de um marechal já idoso e bastante doente, o alagoano Manoel Deodoro da Fonseca, considerado até então um monarquista convicto e amigo do imperador deposto. Essas e outras histórias surpreendentes estão em 1889, o novo livro do premiado escritor Laurentino Gomes. A obra, que trata da Proclamação da República, fecha uma trilogia iniciada com 1808, sobre a fuga da corte portuguesa de Dom João para Rio de Janeiro, e continuada com 1822, sobre a Independência do Brasil.


E, aí, nucciamigo! 

Está participando do Top Comentarista deste mês?

De 01 a 31/janeiro, basta comentar em todas as postagens com o marcador!


Acesse as regras, comente e boa sorte!

>> TOP COMENTARISTA - JANEIRO <<




Espero que tenham gostado da resenha. Não é um livro com um gênero a que muitos estão acostumados, mas é uma ótima literatura histórica. Quem tem curiosidade, vai adorar!

Boa leitura!

Até + ver!


46 comentários:

  1. Já ouvir falar muito sobre os livros desse autor, mas não costumo ter interesse de leitura por livros de época pelo fato de que acabo não me envolvendo com a trama, mas para quem gosta e uma boa indicação de leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lana!
      Como esse livro é mais informativo do que um romance, talvez você goste dele.
      Quem gosta de temas históricos, com certeza vai adorar o livro!
      um beijo!

      Excluir
  2. Eu adorei esse livro! Quero ler os outros tb, mas ainda nào tive tempo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bia, sua linda!
      Super te entendo com isso de não ter tempo! Estou lendo eles um pouquinho mais rápido que o normal pq são emprestados, detesto ficar muito tempo com o que não é meu... XD
      Volta de novo!!
      beijo!

      Excluir
  3. Olá,
    Fiquei mega curioso para ler essa "fofoquinha colonial" hahaha Deve ser incrivelmente bem construído e escrito, afinal o cara é jornalista e sabe o que faz com seriedade, além do mais o livro só recebe bons elogios. Eu amo uma não-ficção para balancear as leituras e assim que possível lerei esse aqui.


    Att,
    decaranasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Pedro!
      Gente, você precisa entender a quantidade de fofoquinhas que tem no livro! rsrsrs.... É surreal!
      O Laurentino soube escrever informação e dados históricos de forma literária, assim não ficou cansativo nem enfadonho. É super legal de ler.
      Leia mesmo!
      beijo!

      Excluir
  4. Os ultimos livros que li foi de não-ficção e tô lendo mais um que não é e estou saturada, haha. Preciso de um pouco de fantasia pra respirar. Meu irmão tem esse livro, deve ser bom. Mas no momento não é o que procuro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mariana!
      Não tem problema! Mais pra frente, quando você quiser desanuviar das fantasias e distopias, pega ele com seu irmão! XD
      beijo!

      Excluir
  5. Eu gosto muito desse período da história do Brasil e, como 2015 foi meu ano de vestibular, eu queria muuuuuito ter lido esses três livros dele, mas também estava sem tempo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lex!
      Eu sugiro que você deixe a leitura para depois das provas! Só quando esfriar a cabeça! Sei bem como ano de vestibular funciona (apesar de já ter passado por isso há muito tempo... meu deus, to velha!)...!
      beijinho!

      Excluir
  6. Nu, nem preciso falar o quanto gostei do livro e realmente é ótimo para quem quer saber umas fofoquinhas de época!rsrs Pode deixar que vou te emprestar os próximos!!Vou deixa-los no seu laboratório para você!! Beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oba!!!!
      mais livros!!!
      Muito obrigada Ale! Mas sem pressa! Ainda tenho mais um livro seu comigo! XD
      beijão!

      Excluir
  7. Olá, gostei da resenha, tenho muita vontade de ler esse livro, pois a história do Brasil e especialmente a dessa fase me interessam muito.

    Participe do sorteio da Trilogia A Caverna Cristalina: petalasdeliberdade.blogspot.com .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mari!
      Também acho muito legal essa parte da história! Foi bem ali que tudo mudou!
      Dá uma lida!
      beijo!

      Excluir
  8. Conheci o Laurentino Gomes em um evento da minha cidade, ele é muito simpático. É sempre bom conhecer mais sobre a historia do nosso país.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie!
      eu conheci na Bienal RJ 2015! Simpático mesmo!
      um beijo!

      Excluir
  9. Oi. eu amo livros de não ficção, gosto de informação, de livros que digam coisas que não sei ou que preciso aperfeiçoar. Meu receio era que esse livro fosse como aquelas piadas chamadas: Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil e por aí vai...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lilian!
      Não é! É um livro super sério e com várias informações. É um relato de jornalista, cheio de dados históricos. Ele não pinta a história com pinceladas leves, nem escracha. Você vai gostar!
      bj!

      Excluir
  10. Oie,

    Eu aprendi a gostar de história com meu professor no nono ano e eu sinto que preciso ler essa série do Laurentino, e eu também tenho certeza de que irei gostar muito do livro, não ficção não é um gênero favorito, mas eu abro uma exceção a esse livro.

    Bjs
    Mayla

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mayla!
      Não-ficção é um gênero lido por poucos, ma alguns livros desse gênero são muito bons. Este é um caso: se você realmente gosta de história, ele é perfeito pra vc!
      beijoka!

      Excluir
  11. Oie
    poxa, esse deve ser um belo livro, sempre ouço falar muito sobre ele mas não é bem o que quero ler por agora pois não curto história, quem sabe um dia né ahhaha

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Ah, que legal que curtiu! Tenho uma amiga que largou a leitura e me desmotivou a pegar o livro. Talvez dê uma chance! Adoro história!

    www.livroseoutrascoisas.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cássia!
      Ah, bom, se ela não curte muito análise histórica, não ia dar pra levar adiante mesmo! XD
      Dá sim, eu gostei muito!
      bj!

      Excluir

  13. OMG!! Esse post é lindo demais!!!
    Meu momento ostentação, conheci o autor na bienal e ele autografou meu 1889 :D Já li os dois primeiros e enchi os livros de marcação rsrsrs. Ate usei alguns trechos do 1808 na minha monografia.

    Coração leitor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vish!
      Achei uma fã mais maluca que minha amiga! XD
      Esse foi meu primeiro livro do autor, super bem indicado pela coleguinha que me emprestou. Lerei os outros com certeza!
      Obrigada!!! <3

      Excluir
  14. Eu amo muito esse livro, li tem um tempinho e assim que tiver um tempo vago irei reler.

    Sua resenha me deixou com saudades. ♥
    Beijos, Lali

    Cantinho da Bruna

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahnn.. que bom, Laís!
      Adoro saber que dou motivações de leitura! XD
      um beijo enorme!

      Excluir
  15. oi ^^ já havia ouvido falar do livro, mas realmente não é mt meu estilo de leitura. por isso deixo passar no momento. quem sabe um dia eu leia né?? Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, chuchu!
      Se não faz muito seu estilo, você vai penar um pouco pra ler. Mas mesmo assim eu recomendo, só uma tentativazinha! XD
      beijo!

      Excluir
  16. Oiiii Nu!

    Confesso que não é o tipo de leitura que busco com frequência, ainda assim, sua resenha me fez ter vontade de lê-lo, me fez olhar com outros olhos para esse livro. Vai pra listinha das boas indicações para futuras leituras.

    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana!
      Juro pra vc que o livro é legal!! Pode tratando de ler como parte do desafio! =P
      Vou lá no LT mais tarde!
      beijão!

      Excluir
  17. Não tenho interesse nesse livro, me parece entediante. Mas já ouvi falar bastante e dizem que é bom, assim como você disse, então quem sabe um dia? Haha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O X da questão é gostar de história. Se não gosta, não vai rolar mesmo. Vai achar maçante e chato. Eu gosto de história de Guerras e do Brasil, por isso adorei.
      Não custa uma tentativa, ninguém vai ficar triste se vc não gostar (só o autor, acho rsrsrs).
      bj!

      Excluir
  18. Olá! Gosto dos acontecimentos passados que ocorreram no nosso país, mas prefiro ler pelos livros de escola mesmo ou internet. Contudo gostei da sua resenha, assim descobri um pouquinho mais o que não sabia tanto!

    Beijão da Lari!
    Brilliant Diamond | Fan Page

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lari!
      Esse livro é bem detalhado mesmo. Muitas coisas que ele explica no livro eu nunca li em livros escolares.
      Que bom que a resenha te agradou! Obrigada!
      beijo!

      Excluir
  19. Oiii Nuuu, eu te amo, mas não sei se leria esse livro não O.O
    Eu tenho bloqueio com livros com números lembra? datas e acontecimentos históricos pra mim só em menções em romances, eu tenho um certo pré conceito, apesar de que eu confio no seu gosto, então talvez um dia pegue ele para poder tirar esse estigma contra livros históricos.
    Parabéns pela bela e detalhada resenha.
    Ti Loviu!

    Giuliana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha... é verdade!
      Tu ia pirar!! Tem muita data, muita informação. Mas também tem bastante fato sem números...
      Só leia se gostar mesmo de história!
      beijinho!

      Excluir
  20. Olá! Eu não sou apreciadora de livros Não-ficção, no entanto, este me parece um tanto diferente. O jeito que você nos apresentou, parece que não é apenas um documentário, cheio de datas e nomes pra se gravar. tem algo que envolve o leitor e o motiva a continuar pelo simples fato que somos todos curiosos e a tal "fofoca" da época instigou! rsrsrs
    Gostei, valeu pela dica.
    Bjocas
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, sim, Ni! Ele tem um jeito de expor os fatos históricos de uma forma que não fique acadêmica e chata. É uma boa transposição literária. Eu também não tenho o costume de ler não-ficção (a não ser que tenham o tema da surdez, que é do meu interesse), mas gostei muito dele.
      Beijo!

      Excluir
  21. adorei a resenha,mas acho que não leria no momento,talvez mais para frente.
    Mesmo assim vou anotar aqui ;)
    bjs

    ResponderExcluir
  22. Oi, tudo bem?
    Eu nunca tinha lido nada sobre esse livro, mas tinha curiosidade com ele e com sua resenha só fiquei mais animada ainda, não costumo ler livros de não ficção e acredito que no começo chegaria a estranhar esse mesmo, mas fiquei animada ao saber que a leitura flui bem.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também fiquei meio receosa no começo. Li por indicação também, mesmo tendo muita curiosidade com o período colonial. Acho que você iria gostar bastante!
      Abraços!

      Excluir

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...