menu

Destaques

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

22 Resenha [livro] - Ouvindo o Silêncio

Olá, pessoas!


Vamos retornar aos trabalhos com maestria! Primeira resenha de 2016!


Hoje daremos continuidade a alguns marcadores que estavam esquecidos aqui no Blog por conta de eventos literários presenciais e on-line...



Nesta única postagem, irei apresentar uma nova Personalidade surda, juntamente com a resenha da sua obra, parte da categoria Literatura Surda.



Para quem não lembra, o marcador ou TAG Literatura Surda foi iniciada com alguns dados do meu livro "Pérolas da minha Surdez" a ser lançado logo depois do carnaval!!!


Depois, passamos ao segundo livro: Desculpe, não ouvi!, da autora e amiga Lak Lobato.

O terceiro livro a ser analisado é, além destes marcadores todos, meu primeiro livro de 60 (!!) a ser finalizado para o Desafio Literário 60 em 1 do Blog Livros & Tal:

Ouvindo o Silêncio, do autor e também amigo Armando Nembri, foi lançado pela Editora Mediação em co-autoria com Angela Carrancho da Silva, sua orientadora, e já está na sua terceira edição, lançada no ano de 2012.

Vamos ao livro e depois à resenha e ao Armando!


Ouvindo o Silêncio: surdez, linguagem e educação.
Armando Nembri e Angela Camacho
Editora Mediação
Ano: 2008 (1ª edição)
Gênero: Inclusão e Educação Especial / Biografia

*Livro do acervo pessoal do/a blogueiro/a*

Sinopse:

Armando Nembri nasceu surdo, enfrentou a exclusão em escolas públicas e vários outros desafios. Com apoio de sua família e por sua persistência, alcançou a formação universitária, passou em concursos profissionais e hoje é Mestre, Doutor em Educação e professor universitário. Seu emocionante relato de vida, somado à sua trajetória de escolarização em escolas, torna esta leitura indispensável a surdos e ouvintes uma vez que alerta sobre a necessidade premente de se reorganizar o trabalho pedagógico nas escolas para garantir aos surdos o direito a condições dignas de aprendizagem.



A maioria dos livros dentro do tema "surdez" são acadêmicos ou biográficos. Este não foge à regra. Ouvindo o Silêncio é narrado em duas partes, a primeira pelo próprio Armando, sobre sua vida como surdo desde o nascimento (dividida em subpartes de acordo com a fase de vida a ser relatada), e a segunda parte, narrada pela co-autora Angela, sua própria perspectiva em ser professora de pós-graduação de um surdo oralizado.






Tendo o prefácio escrito pelo seu professor de pós-graduação em Engenharia Civil nos EUA, o livro começa com Armando explicando um pouco sobre si mesmo. Ser surdo em um mundo ouvinte não é simples; ser surdo e ter características físicas que incomodam as pessoas ao seu redor, devido a um padrão de beleza imposto pela sociedade, é muito mais complexo.


“Ser surdo num mundo ouvinte é compreender os ouvintes e não os achar culpados por uma sensação de abandono que, vez por outra, nos atinge em cheio. Os ouvintes, em sua maioria, apenas desconhecem o potencial que temos e a culpa também é nossa: precisamos encontrar formas mais adequadas de esclarecimento e convencimento.”

Junte a isso o fato de que você, apesar de ter nascido sem um pingo de audição, consegue falar razoavelmente bem e fazer uma leitura labial perfeita, consegue tocar instrumentos musicais, fazer graduação e pós no Brasil e no exterior (não uma, mas duas vezes), casar e ter filhos, e as pessoas nunca vão te levar a sério quando você informar que é surdo total.

O que eu achei do livro? Muito bem escrito, com todo o jeito do Armando, o livro tem uma linguagem culta e cadenciada, como se estivesse narrando uma história em cordel, ou mesmo uma poesia narrativa. É o modo de ser típico do meu amigo. A narrativa da parte da Angela também é muito bem feita, explícita e sem palavreado acadêmico que embola o leitor comum.

"Por longos anos, me considerei como um estranho no ninho, ou melhor, nos ninhos. Ouvintes e surdos eram notadamente, evidentemente diferentes de mim. Especificamente, os surdos não me consideravam surdo - uma vez que conseguia e consigo falar em bom, correto e audível português; os ouvintes sempre me consideraram surdo. Tal 'hibridismo' me permite transitar com desenvoltura entre as duas culturas."

E a parte técnica? A editora Mediação foi muito feliz na escolha da capa: uma estátua de anjo tocando uma flauta simboliza o título do livro com perfeição. Em fundo azul com fontes simples e na cor branca, a capa está muito bem arranjada. As orelhas são um pouco grandes demais, mas foram adaptadas para conter o texto.

A diagramação também está nos trinques! Margens justificadas, papel branco, mas com fontes em uma cor azulada e em bom tamanho não dificultando nossa leitura. As citações são em fonte ligeiramente menor, ainda sem estragar o texto. Não encontrei erros de português (pontuação ou gramática), nem mesmo um de digitação. Parabéns à Editora!

No geral, é um ótimo livro para quem deseja saber um pouco mais sobre como é ser surdo, em especial surdo desde o momento do seu nascimento, imerso em um ambiente cercado de sons. Armando tem um modo peculiar de se descrever e descrever sua vida. É um otimista nato e merece cada aplauso que ganha. Parabéns, amigo, por mais uma jornada completa.

Vocês podem acessar a obra clicando nos links:









"Ah, tá, beleza, Nuccia. Acabou a resenha, mas... e o Armando?"


Calma aí, rapá! Já vai!

Armando Nembri é carioca, nascido com uma doença rara (Síndrome de Gondelhar), caracterizada por má formação de alguns órgãos e sistemas, que o deixou totalmente surdo desde o nascimento. 

Mesmo assim, Armando fala e conversa em grupo ou individualmente de forma quase normal. Após alguns minutos de conversa tocando em seu ombro, é capaz de fazer sua leitura labial com perfeição, sem mais tocá-lo. A conversa flui bem e os assuntos variam em quantidade e complexidade.

“O ser humano é fantástico no que diz respeito à sua vontade de se superar. É claro que a necessidade nos leva ao desenvolvimento de habilidades que possibilitam o nosso convívio com outras pessoas. Por isso, afirmo que sei ouvir, embora não tenha o sentido da audição. Ouço com os olhos, com o coração e com aquela ‘voz interior’ que faz a diferença em nossa curta existência”.

Graduado em Administração, Armando é analista de planejamento e gestão do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) há 27 anos, professor da Universidade Veiga de Almeida, do Rio de Janeiro, em três disciplinas (Gestão de Pessoas, Educação Inclusiva e Áudio e Comunicação), além de colaborador da Escola Nacional de Administração Pública (ENAP), de Brasília. 

Ele também concluiu três pós-graduações lato sensu, fez um M.B.A. em Administração Pública e duas pós-graduações stricto sensu (nível Mestrado). Atualmente, está finalizando o Doutorado em História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), foi o primeiro surdo a passar em primeiro lugar em um processo admissional para Doutorado em Universidades Federais no Brasil (eu passei para o Doutorado antes, mas passei em 4º lugar).

Além do livro “Ouvindo o Silêncio", lançou em 2015 pela Editora Multifoco seu segundo livro: "Em Silêncio: Avaliação do Primeiro Curso de Graduação para Surdos e Ouvintes em Língua de Sinais", que conta a experiência ocorrida no Instituto Nacional de Educação de Surdos, onde deficientes auditivos e ouvintes dividem a mesma sala de aula.

Armando é casado e tem uma filha adolescente, e diz que continua enfrentando preconceitos e ainda aprende como conviver bem entre surdos e ouvintes. Além de português e LIBRAS, é fluente em inglês e espanhol também. Exímio tocador de piano, adora viajar e filosofar!

Conheçam mais um pouquinho dele no vídeo abaixo:








Já está participando do Top Comentarista deste mês?


De 01 a 31/janeiro, basta comentar em todas as postagens com o marcador!


Acesse as regras, comente e boa sorte!








Espero que tenham gostado de mais um pouquinho de informação, em especial destas informações de um mundo ausente de som, mas não de música e beleza!

Nós não ouvimos, mas nós sentimos!

Aproveitem bem! Boa leitura!

Até + ver!






22 comentários:

  1. Nu,
    Estou encantada com esse autor, merece todos os créditos com louvor!!
    Achei bastante interessante o livro, para conhecer melhor a sua história.
    As pessoas devem ficar surpreendidas quando ele diz ser surdo, pois conversa normalmente com a leitura labial e ainda fala fluentemente dois idiomas.
    Parabénsssss
    Amei a resenha e conhecer mais sobre o autor...
    beijos
    Conchego das Letras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mais ou menos como eu, pareço uma matraca que não sabe ficar calada, daí viro e digo "fala devagar que sou surda" e a pessoa olha pra mim: "MAS HEIN?!".... eu adoro ver a expressão assustadas que fazem... hahaha... Armando é muito legal! E tem todo um carisma! XD
      um beijo!

      Excluir
  2. Ooi! Este livro parece ser tão bonito, e não é só por ser uma biografia, mas porque não é uma comum, mas sim de uma pessoa que infelizmente ainda sofre preconceito. Fico indignada com estas pessoas que veem deficientes como seres de outro mundo ou coisas piores. Isto só nos mostra que o preconceituoso é um leigo e um completo ignorante em questão de respeito e amor ao próximo. Não é uma deficiência que vai te fazer, mas é você que se faz crescer e focar nas prioridades. Mesmo com todas as críticas e comentários que desanimam, eu oro para que todos sempre sigam com foco no que querem realizar, foco nos seus sonhos! Não ligar (mesmo que magoe no momento, pois palavras são espadas afiadas quando usadas para entristecer) para comentários ruins, mas sim pegar junto daqueles que são sinceros em amor e que te fazem prosseguir para crescer cada dia mais. Este livro deve trazer um ensinamento e tanto.
    Parabéns pela resenha, parabéns para o autor e parabéns para todos os deficientes que correm atrás de seus sonhos, não deixando-se cair mais fundo por causa da deficiência, mesmo que seja difícil, eles não desistem de lutar!
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Ruhh!
      É sempre um problema sério ser diferente. Mas eu acho que as pessoas só ficam chocadas porque não sabem sobre o assunto. Se nunca tiveram contato, nunca viram, não tem nem perspectiva de um dia encontrar alguém desse jeito, por que que vai procurar saber como é? Daí passa vergonha quando encontra! Fazer o quê?
      Obrigada pelas suas belas palavras!
      um beijo!

      Excluir
  3. Nossa, muito interessante.
    Nunca li nenhum livro que foque nesta questão, mas fiquei encantada.
    Parece ser uma história linda e de superação.

    Beijo
    http://conchegodasletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bruna!
      Eu também não lia livros assim até alguns atrás. Comecei a ler após eu mesma ficar surda e o tema deixar de ser só interessante e se tornar imprescindível pra mim. E então eu acho justo passar adiante!
      Obrigada por vir!
      beijos!

      Excluir
  4. Olá parece ser realmente muito bom, mas não faz muito meu gênero.
    Beijos^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sabrina.
      Na verdade, não faz o gênero de quase ninguém, por isso que as pessoas cometem gafes com deficientes auditivos o tempo todos... rsrs..
      beijo!

      Excluir
  5. Que bacana você falar desse livro Mércia, tudo no caminho da inclusão vale a pena! Nunca li nenhum livro sobre surdos e gostei muito da dica! Obrigada! beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tham!
      Não seja por isso! Esse ano sai o lançamento do meu! XD
      Independente de ser inclusivo, a intenção é ser informativo!
      obrigada!
      beijo!

      Excluir
  6. Estou completamente apaixonada por esse livro, tenho trabalhado muito sobre o tema abordado muito sobre esse tema na faculdade, e sempre quero aprender mais sobre isso, esse livro com certeza vai me ensinar muito mais do que aprendi, e por isso coloquei ele na minha lista de desejados, espero poder lê-lo logo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lana! que bom que gostou! Fica de olho no blog que teremos mais resenhas de livros desse gênero! Estou com várias biografias para ler, além da minha é claro!
      um beijo!

      Excluir
  7. Oi Nu, tudo bem?

    Confesso que antes de te conhecer, nunca tinha olhado para as dificuldades que vcs passam com muita atenção. Não por nada, apenas pq a gente só lembra das coias quando vê a necessidade ali, presente. Tenho achado esse tema muito interessante e além disso, tenho visto a necessidade de apoiarmos que as coisas melhorem. Não vejo pq as pessoas podem ser preconceituas ao ponto de não levar a sério pessoas mega capazes e super inteligentes como vcs. Fico na torcida pelo sucesso do livro dele que me pareceu ser um relato de vida intenso e de superação e fico ansiosa pelo seu livro que tenho certeza de que será um sucesso, Nu.

    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana!
      Se preocupe não! É uma das coisas mais comuns na sociedade! Eu mesma só fui de fato entender o que era surdez, conhecer e saber como viver direito sendo surdo depois que perdi minha audição. Antes disso, tinha minha própria cota de preconceitos também... A intenção é ensinar e abrir horizontes! Qualquer mudança é uma diferença e é importante!
      Obrigada pelas suas palavras, pela torcida!!
      beijo enorme!

      Excluir
  8. Wow, esse livro deve ser emocionante. Acho bom esses livro que nos arremete a realidade, não me lembro de ter lido nada parecido como este livro, me parece ser ótimo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jéss!
      é difícil encontrar se não estiver procurando. Mas agora é mole acompanhar o blog e ver os livros de temas parecidos que eu recomendar! Incluindo o meu!!! que será lançado em MARÇO!! \o/ <3
      beijão!

      Excluir
  9. O livro parece interessante e útil, se eu tivesse a oportunidade, leria. Muitas vezes a gente não sabe lidar com isso, com certeza o livro deve ser ótimo para todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, gi, você está certa. É bem difícil uma pessoa saber como tratar d assunto se nunca encontrou nada parecido, ou nem mesmo leu. Meu livro fala de situações parecidas.
      Assim que vc desafogar com a faculdade, leia! Vale a pena!
      bjs!

      Excluir
  10. Olá Musa avermelhada do meu coração. Eu não vou dizer que antes de ti nunca tinha tido contato com pessoas sem audição que seria mentira, eu tive uma amiga que levava uma vida quase normal, e se comunicava através da sua filha, mas tipo eu não era intima dela, apesar de gostar dela eu não sabia muito do seu mundo. Mas ai anos depois me deparei com você e pah, li teu livro e vi o quanto não sabia de nada....
    Agora toda obra que vejo por aqui de surdos trazem uma carga tão grande de aprendizado que me dá vontade de ler todos.
    Parabéns pela resenha e pela perseverança de vocês que escolheram viver ao máximo do que ficar reclamando.
    Beijos te amo.

    Giuliana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caraca, Giuli! Vc sempre aperta a ferida com força! eu te amo, de coração!!!
      O bom de obras semelhante é justamente aprendermos um pouco de cada vez. Uma coisa que costumo dizer, que é óbvia, mas pouca gente realmente compreende: somos todos surdos, ma não somos os mesmos surdos! Cada surdo tem uma história de vida, de doença, de cultura bem diferente. Não dá pra jogar td mundo no mesmo pacote!
      Obrigada por vir aqui e deixar meu zóio moiado! Obrigada pelo "musa avermelhada"... =D
      bj!

      Excluir
  11. adorei o livro
    com certeza vou ler.
    a obra me encantou assim como sua resenha
    .. a sua resenha ficou perfeita.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Danni!
      Que bom que gostou da resenha, caprichada de coração. Gosto muito do Armando, é uma pessoa sensível, inteligente e muito loquaz! Se gostou do livro dele, procure a tag Literatura surda que tem outros do mesmo gênero.
      bjs!!

      Excluir

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...