menu

Sorteios

segunda-feira, 31 de julho de 2017

0 Resenha [livro] - Filha da Profecia, de Juliet Marilier

Alou, pessoas!

Primeiramente, venho lembrar a todos que podem assinar nossa mail-list/newsletter (AQUI) e assim receber novidades e resenhas direto no seu e-mail! XD

Segundamente, venho trazer uma resenha estrangeira daquelas que amo fazer e fiquei sem chão mais uma vez. Hoje, a resenhar é do livro Filha da Profecia, o 3º volume da Coleção Sevenwaters, escrita pela maravilinda Juliet Marillier e publicada pela nossa parceira Butterfly Editora!

Filha da Profecia
Coleção Sevenwaters - vol. 3
Autora: Juliet Marillier
Editora: Butterfly
Gênero: fantasia
Ano: 2014
640 p

A história de Fainne, criada pelo pai, Ciarán, em uma terra distante. Ao se tornar adolescente, ela é visitada pela avó, a malévola feiticeira Lady Oonagh, que a obriga a embarcar em uma terrível missão: infiltrar-se na família, em Sevenwaters, e impedir que seu tio Sean e seus aliados reconquistem as Ilhas sagradas – invadidas há gerações pelos escandinavos. Educada pelo pai usando seus dons de magia para o bem, ela, no entanto, agora se vê forçada a usar de artimanhas e maldade para atingir os objetivos de vingança de sua avó.

*Obra cedida pela editora no formato físico para resenha referente a parceria 2017. 
As opiniões são exclusivamente nossas. Não houve nenhum tipo de intervenção em nossos comentários.*


Esse livro faz parte do Desafio Literário Diminuindo a Pilha 2017, como leitura de JULHO: Livro e/ou Autor PREMIADO.

Juliet Marilier recebeu diversos prêmios, de seu país (Austrália) e internacionais (incluindo Irlanda). Confiram AQUI.

Resumo dos livros anteriores sem spoilers:

RESENHA - Filha da Floresta narra a história de Sorcha e seus seis irmãos. Filhos do senhor de Sevenwaters, um povoado na costa norte da Irlanda, cercado por uma bela floresta cheia de seres místicos, estão em guerra contra os bretões (povo originário da atual Inglaterra), que tentam usurpar seus territórios. Quando seu pai apresenta a nova noiva, Lady Oonagh, quase todos os irmãos percebem o grande mal que está para se derramar sobre a família. Em meio a um ritual antigo para pedir bençãos a sua falecida mãe, a tal noiva surge e lança uma maldição sobre os irmãos. Apenas Sorcha sai ilesa e é sobre ela que cai a responsabilidade de salvar a todos. Mas não será fácil, nem simples e nem mesmo acontecerá tudo na Irlanda.


RESENHA - Em Filho das Sombras, a protagonista é Liadan, uma das filhas de Sorcha, com os mesmos dons de sua mãe para ver e conversar com Seres da Floresta, bem como o trabalho com as ervas e uguentos. Ela é a única que percebe uma sombra sobre a família, o mal chega a Sevenwaters. Ao voltar de uma visita à irmã, Liadan acaba capturada por mercenário, cujas peles são marcadas com desenhos incríveis, liderados pelo Homem Pintado, que tem metade do corpo na forma de corvo. Liadan os cativa com seu jeito e suas histórias da terra, por sua impetuosidade, suas respostas hábeis e o fato de enfrentar o líder de igual a igual. Porém, a fama dos senhores de Sevenwaters é mais forte. E Liadan tem de fazer uma escolha que mudar todo o destino de todos.



Quando você tem em mãos um livro maravilhoso, acha difícil que encontre outro. Não há fantasia que supere a coleção Sevenwaters no meu entender. Ok, Filha da Floresta é o mais impactante, mas os demais não deixam a desejar de forma alguma.


Em Filha das Sombras acompanharemos a história de vida de Fainne, filha de Ciarán e Niamh, sobrinha de Liadan, prima de Johnny, o filho do corvo, o prometido, o filho da profecia que restaurará a Sevenwaters o domínio das Ilhas que carregam o segredo e a sabedoria dos Antigos e dos Seres da Floresta. 

Fainne foi criada em Kerry, morando nas cavernas de Honeycomb, sozinha com seu pai. Ele a ensinou desde pequena toda a história dos povos, a magia e o controle dela. A solidão e o silêncio eram seus amigos e ela não se incomodava, com exceção do verão, em que os viajantes chegavam à colina e ela encontrava e conversava com seu amigo Darragh todos os dias até sua partida. Quando irritada, faíscas saíam de seus cabelos vermelhos.


Então, quando atinge sua adolescência, seu pai decide que Fainne precisará retornar à sua família, em Sevenwaters, mas, antes disso, precisa aprender a ser uma mulher, uma dama. Assim, ele sai de casa e a deixa sob os "cuidados" e ensinamentos de sua avó, a feiticeira Lady Oonagh. Sim, aquela mesma que lançou uma maldição sobre os irmãos de Sorcha, transformando-os em cisnes (SPOILER DO LIVRO 01, MARQUE PARA LER). 

"Chegou a hora de você sair daqui e de conhecer a família de quem lhe falei, a família que já esqueceu completamente Niamh e todo o inconveniente que ela podia causar. É hora de você ir para Sevenwaters."

Enquanto seu pai a ensinava com pequenas recompensas, sua avó a torturava a cada erro. E obrigava Fainne a cometer atos de pura maldade apenas para mostrar como era extenso seu poder. Lay Oonagh a controlava mostrando visões de seu pai doente, definhando a cada dia, por um feitiço que ela mesma lançara. Não havia escolha para Fainne, para salvar seu pai e impedir Lady Oonagh de maltratar a quem amava, como seu amigo Darragh, ela teria de ir a Sevenwaters, se infiltrar na casa da família, conquistar sua confiança e amor, para então traí-los.


Juliet Marillier se mostra mais uma vez um espetáculo de escritora, a rainha da literatura celta. Em cinco capítulos, temos uma história de vida, um amor, uma vingança, uma viagem, uma armadilha. O livro tem 16 capítulos e é perfeito! Não cansa, não enjoa; pelo contrário, nos deixa ansiosos para saber como Fainne enfrentará sua avó ou se irá sucumbir aos seus poderes.

Eu omiti muita coisa no resumo. E, mesmo sendo centrada em Fainne, a nova geração de Sevenwaters, temos vários dos personagens dos livros anteriores, sejam apenas menções, sejam grandes participações. Todos muito intrincados, sem serem esquecidos. De novo, uma leitura perfeita.

"Eu detestava aquele corvo que ia e vinha quando bem entendia e me observava o tempo todo, com seus olhos pequenos e brilhantes, quando estava em nossa casa. (...) Fiacha bicou minha cabeça uma vez, quando eu era pequena e doeu bastante. Papai sempre disse que foi por acidente, mas eu não acreditava nisso."

A seu próprio modo, Fainne é uma personagem forte e decidida, assim como todas as mulheres de sua família. Por conta da pouca idade e da ausência de familiares durante sua infância, é muito influenciada pela figura de sua avó, mas nunca perde de vista os ensinamentos druidas de seu pai. Neste livro, sabemos desde o começo que Fainne também é a filha da profecia, ao lado de Johnny. Só descobrimos como e de que modo é seu papel na profecia quando efetivamente chega o momento certo.


Magia, amor, ação, vingança, aventura, amizade, segredos. A narrativa é em primeira pessoa, tem um ritmo, tem vida. E um final espetacular para uma coleção que merece todas as estrelas e bruxinhas que posso dar. Sério, gente! Que final lindo e digno!

"Não é o povo de Sevenwaters que importa, menina. É o poder por trás deles, daquelas criaturas do Outro Mundo, com seus trejeitos de lordes e sua empáfia conosco. Você irá para Sevenwaters, se não por seu pai, então por mim. Tenho uma tarefa para você, uma missão para completar. E é algo grande, Fainne. Maior do que você imagina."

Sobre a parte física do livro: diagramação, capa e parte interna segue como o primeiro livro, ou seja, dá pra ver de longe que a Editora continuou fazendo um trabalho especial. Há o mapa da região, o índice com uma representação da árvore da vida na mitologia celta, cada início de capítulo marcado por bordas de símbolos celtas e penas. Erros de digitação, português, gramática ou coisa parecida têm bem menos que ambos os livros anteriores.


A capa segue o padrão da coleção, com imagem representativa de cena e cor diferenciada. Descrição #pracegover: é metalizada em tons de rosa avermelhado e vinho, num degradê do escuro nas bordas ao claro no centro. Possui bordas com desenhos célticos em prata. A imagem principal é de uma jovem ruiva sentada ao chão de uma pequena caverna, usando uma capa de capuz cinza chumbo, e segurando com as duas mãos uma pequena esfera de vidro azul. À sua direita, um pequeno lampião aceso. Sobre ela, plantas trepadeiras iluminadas. Título em alto relevo, em tom leve de dourado na parte superior.

Sabemos que há um 4º livro, mas efetivamente ele, apesar de ser da Coleção, não é parte dessa trilogia. É sobre gerações futuros, é sobre o feudo, é sobre o povo, mas também é uma história bem independente. E assim que chegar, resenha nova, claro!

"Os homens gostam de seu jogo de poder e influência, de se apoderar de terras e riquezas.Querem mais do que podem ter. Derrubam árvores gigantescas e antigas para ampliar seus pastoreios, escavam minas para retirar delas o que há de nobre, destruindo até mesmo as pedras. Abraçam uma nova fé com muito fervor e, até mesmo, com sinceridade. Mas se afastam cada vez mais da antiga sabedoria. Já não ouvem o bater do coração da grande mãe terra."


No mais, se você gosta de fantasia e magia, não sei mesmo porque ainda não leu esta coleção. Faça um favor a si mesmo e leia! Não irá se arrepender!



Sobre a COLEÇÃO:

A coleção era inicialmente uma trilogia, mas novos livros já foram lançados no exterior e estão chegando agora ao Brasil, todos pela Butterfly Editora. Abaixo a lista da coleção completa, com nome em português e ano de lançamento no Brasil, nome original e lançamento no exterior:

1 - A Filha da Floresta, 2012 (Daughter of the Forest, 2000) 
2 - O Filho das Sombras, 2013 (Son of the Shadows, 2001) 
3 - A Filha da Profecia, 2014 (Child of the Prophecy, 2002) 
4 - O Herdeiro de Sevenwaters, 2016 (Heir to Sevenwaters, 2009) 
5 - A Vidente de Sevenwaters (Seer of Sevenwaters, 2011) 
6 - A Chama de Sevenwaters (Flame of Sevenwaters, 2013) 




Sobre a AUTORA:

Nasceu em Dunedin, Nova Zelândia, local de grande influência da cultura escocesa. Bacharel pela Universidade de Otago na área de idiomas, graduou-se com distinção em música e tem uma carreira bastante variada. Já lecionou história da música, cantou profissionalmente, regeu corais e atuou na área de avaliação de taxas fiscais e de administração de escolas. Atualmente trabalha meio período em uma repartição do governo federal e atua como escritora no restante do tempo.



Definitivamente, conquistou meu coração! Melhor coleção fantástica do mundo! Eu não conseguia parar de marcar citações... Viram quantas? Tem mais!




O que vocês acharam? Já leram algum dos livros? Me contem!

Boa leitura!

Até + ver!



Nuccia De Cicco é bióloga, Doutora em Bioquímica, escritora, poetisa, bailarina e blogueira. Carioca de paixão de Santa Teresa, é apaixonada por livros, seriados, tatuagens e lambidas caninas, além de ter uma queda saudável por cafajestes. Surda desde os 27 anos, é co-autora em nove antologias e publicou o livro “Pérolas da minha surdez”, uma obra sobre luta e força de vontade. Todas as suas facetas são mostradas no blog “As 1001 Nuccias”. Nele, a literatura impera!




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...