segunda-feira, 7 de novembro de 2016

9 Resenha [livro] - A Garota Perfeita, de Mary Kubica

Bom dia, bom início de semana!

Como estamos de preparativos para o final do ano? Penúltimo mês de 2016 rolando com a corda toda!

Por isso mesmo decidi trazer a vocês um dos últimos lançamentos em thriller e suspense da Editora Planeta do Brasil: A Garota Perfeita, escrito por Mary Kubica.

Vamos conferir essa resenha?

A Garota Perfeita
Autora: Mary Kubica
Editora: Planeta do Brasil
Gênero: thriller / suspense
Ano: 2016
336 p.

*Livro do acervo pessoal do/a blogueiro/a*

Sinopse:
Mia, uma professora de arte de 25 anos, é filha do proeminente juiz James Dennett de Chicago. Quando ela resolve passar a noite com o desconhecido Colin Thatcher, após levar mais um bolo do seu namorado, uma sucessão de fatos transformam completamente sua vida. Colin, o homem que conhece num bar, a sequestra e a confina numa isolada cabana, em meio a uma gelada fazenda em Minnesota. Mas, curiosamente, não manda nenhum pedido de resgate à familia da garota. O obstinado detetive Gabe Hoffman é convocado para tocar as investigações sobre o paradeiro de Mia. Encontrá-la vira a sua obsessão e ele não mede esforços para isso. Quando a encontra, porém, a professora está em choque e não consegue se lembrar de nada, nem como foi parar no seu gélido cativeiro, nem porque foi sequestrada ou mesmo quem foi o mandante. Conseguirá ela recobrar a memória e denunciar o verdade vilão desta história?



Um bom suspense é aquele que te envolve e te deixa ansioso para saber o final. Você vai criando expectativas, suas próprias teorias e pá! Não é bem o que você esperava!




Em A Garota Perfeita conhecemos a família (im)perfeita de Mia Dennett. Estudante e professora de Artes, Mia sempre fora considerada a ovelha negra da família, apenas por não ter seguido a carreira jurídica do pai, como sua irmã mais velha o fez.



Mas nós, leitores despreparados, não conhecemos Mia por ela mesma. Mia nos é apresentada pelos relatos de seus familiares ao detetive Gabe Hoffman. Isso porque Mia foi sequestrada, nenhum resgate foi pedido e os segredos da família são podres e extensos. E os relatos dos familiares não batem: o pai de Mia, o famoso Juiz Dennett, apenas aponta os defeitos da filha; sua mãe, Eve, sempre fala da delicadeza, cuidado e dedicação da filha. Sua irmã mais velha, bem, nem lembra o que a irmã faz.


"- Quero apenas checar, senhora Dennet. O prédio onde ela mora tem porteiro?- Não.- Algum sistema de segurança? Câmeras?- Como poderíamos saber disso? - pergunta o juiz, quase rosnando de irritação. - Os senhores nunca a visitaram? - pergunto antes que consiga me controlar. Espero por uma resposta que não vem."

Colin Tatcher é um ladrão oportunista. Foi contratado para sequestrar Mia. Nunca havia se enfiado em sequestros antes, mas precisava de mais grana, aceitou e fez um bom trabalho. Estudou Mia, seus horários e manias. Ao sequestrá-la, deveria entregar a garota a quem o contratou, mas ele muda de planos. Simplesmente leva Mia para uma cabana no meio da floresta, bem ao norte do país, quando o inverno está chegando.


Mia é encontrada, mas está sob efeitos de TEPT (Transtorno de Estresse Pós-Traumático), não se lembra de praticamente nada, nome, feições, local, lhufas. Para ela, seu nome é Chloe. E, além de todos os pesadelos que a mantém acordada na maior parte da noite, Chloe/Mia tem de enfrentar a irritação do pai, a insegurança da mãe e suas próprias mudanças. E as coisas se complicam quando começam a acontecer outros tipos de mudanças em seu organismo.


"Estou alerta o tempo todo, espiando por cada janela que posso. Sempre olhando por cima do ombro. Faço uma barricada na porta da frente antes de dormir e fico feliz ao ver que as janelas foram seladas por algum idiota com tinta na mão. Nem penso em me preocupar com uma tentativa de fuga da garota. Baixo minha guarda, deixo as chaves da caminhonete à vista e isso é todo o incentivo que ela precisa."

Narrado em terceira pessoa, mudando a ótica narrativa a cada capítulo, alterna entre a mãe, o detetive e o sequestrador. Alguns capítulos narram antes de Mia ser encontrada, outros narram depois que ela está de volta à sua casa. Assim, com variadas visões dos mesmos acontecimentos, vamos descobrindo aos poucos porque a mudança de planos e quais os segredos que cada personagem esconde. Alguns leitores podem se perder nesse tipo de narrativa vai-e-volta, mas pra mim, que estou acostumada com Stephen 'Louco' King, foi moleza.


Os personagens são fortes, não caricatos, presos na estética social que o dinheiro e fama impõem a quem quer se manter com status quo elevado. O pai é um crápula insensível, o sequestrador tem mais sensibilidade que ele. A mãe, que foi submissa e cega para as atitudes toscas do marido por anos a fio, muda por sua filha. 


O que achei? Mary Kubica soube montar um bom suspense. Bom, mas não espetacular. Há o suspense, há a trama complicada, há até um leve romance. A autora nos conduz a um final que parece bem previsível. Eu passei a metade final do livro com quase certeza absoluta sobre quem teria encomendado o sequestro. Errei e gostei de ter errado, mas errei por muito pouco.



Sobre a parte física do livro: a diagramação muito simples, mas bem ajustada. Folhas são amareladas, em papel grosso, fontes em bom tamanho e margens justificada. Cada capítulo começa com o nome de quem vai fazer a narrativa. Não encontrei erros de revisão gritantes. Gostei muito mesmo da sobriedade do livro.


Descrição da capa #pracegover: os livros da Mary tem uma característica própria nas capas estrangeiras (que são mantidas na versão brasileira), são sempre imagens de rosto em primeiro plano, ocupando praticamente todo o espaço da capa. Nesta, é a imagem de uma moça entre 18-22 anos, loira, olhos claros, pele branca, semblante sério, um dedo indicador sobre os lábios, pedindo silêncio. O título do livro e o nome da autora estão em fontes brancas, grandes com algumas letras em posição invertida/espelhada, como a mostrar a imperfeição das pessoas de que trata o livro.



O livro é recomendado a todos que se encantam com tramas policiais e um bocado de suspense psicológico. Mia é um mistério que demanda ser desvendado e que nos segura até termos desfeitos os nós deste novelo de lã.





O livro na REDE:


 

>> SARAIVA <<



Sobre a Autora:

Mary Kubica tem bacharelado em Artes pela Universidade de Miami em Oxford, Ohio, em História e Literatura Americana. Ela vive fora de Chicago com o marido e dois filhos e gosta de fotografia, jardinagem e cuidar dos animais em um abrigo local. A Garota Perfeita é seu primeiro romance e The Pretty Baby (ainda não publicado no Brasil), o segundo.






Esse livro faz parte do Desafio Literário 60 Livros em 1 ano, organizado pelo Blog Livros & Tal, como minha leitura #34de60.

Esse livro também faz parte do Desafio Literário Skoob 2016, como leitura de OUTUBRO: Livro do gênero THRILLER PSICOLÓGICO.


Espero que vocês gostem da leitura tanto quanto eu. É realmente um bom thriller, com um final que posso considerar um pouco inesperado. 

Quem já leu, quer deixar comentário pra mim? Até a próxima resenha!

Boa leitura!

Até + ver!



9 comentários:

  1. Nossa, eu gostei muito desse livro! Gosto de thriller e vou adc esse na minha estante de "quero ler" do Skoob :D

    Beijos
    Fran
    Achei e Rabisquei

    ResponderExcluir
  2. Oii, tudo bem?

    Esse livro tá na minha lista a séculos e sua resenha só me deu mais vontade ainda de ler! Adoro suspenses! Parabéns pela resenha!

    Beijos,
    Gaby

    ResponderExcluir
  3. Oi Nuccia!
    Já li algumas resenhas desse livro por aí e fiquei mega curiosa para ler. Eu não sou muito fã de suspense mas esse parece ter uma vibe diferente, meio de crítica social, por isso não me importo tanto que o suspense não seja lá essas coisas.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Oiee Nuccia ^^
    Não gosto muito do gênero, mas cheguei a ler uns dois livros nesse "estilo" e gostei, então estou querendo arriscar. É tão bom errar o final, né? haha' gosto de ser surpreendida com os finais, e fico feliz em saber que isso aconteceu com você, apesar de a obra não ter te agradado completamente.
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  5. Oi Nuccia!
    Quero tanto esse livro que você nem faz ideia. Fiquei sabendo que ele vai ganhar adaptação ao cinema e por isso queria ler o quanto antes pra não ficar igual A Garota Exemplar, onde eu vi o filme primeiro e deixei o livro de lado.
    Sua resenha está ótima, só contribuiu para aumentar meu apetite em devorá-lo kk
    um beijo ♥

    ResponderExcluir
  6. Oiii!!!
    Gostei muito da sua resenha, eu ainda não tinha lido nenhuma sobre esse livro. Na bienal esse livro estava na minha lista de desejados, mas acabei não comprando por causa do preço. Agora fiquei com mais vontade de ler kkkk. Adoro livros que tenham algum mistério, e nesse caso quero muito saber quem mandou sequestrar a garota.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Primeira resenha que leio dele e gostei bastante. Não o leria agora, porque preciso estar com a mente tranquila porque sei que esse livro é pesado e provavelmente ficarei de ressaca. A capa está maravilhosa!

    ResponderExcluir
  8. Oii,

    Acredita que eu não sabia qual era a história desse livro? Bom, gostei muito do que li em sua resenha e fiquei curiosa para ler o livro. Mas acho que me incomodaria um pouco essa intercalação de capítulos que você disse. Mas mesmo assim fiquei curiosa com o livro.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá Nu!
    Já tem algum tempo que estou namorando a capa dessa obra, mas ainda não tinha lido nenhuma resenha da obra, e agora ao saber que é um suspense fiquei encantada e com mais vontade ainda de ler, tenho me aventurado um pouco nesse tema e tenho gostado muito! Com certeza vai para a lista.

    Beijocas

    ResponderExcluir

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...