sexta-feira, 5 de maio de 2017

17 Resenha [livro] - Lágrimas de Outono, de Amanda Bonatti

É sexta!!!

E sexta significa resenha de livro nacional

Depois de tanto feriado nunca te amei tanto mês de abril/maio, temos resenhas a dar com o c... pau! XD

Temos hoje a resenha de um livro pra lá de especial: o romance espírita Lágrimas de Outono, escrito pela simpática e parceira autora Amanda Bonatti, o primeiro a ser publicado sob o Selo Editorial Regeneração (SER), do Grupo Arwen.

Vem comigo!

Lágrimas de Outono
Editora: SER - Arwen
Gênero: romance / drama / espírita
Ano: 2016

*Livro do acervo pessoal do/a blogueiro/a*

Sinopse:
Isabel vivia uma infância feliz e cercada de carinho da família. Muito apegada à sua mãe Elisa, que a ensinou a amar as flores e a cultivar o mesmo apreço que tinha pelo jardim da casa onde ambas nasceram. A menina cresceu apaixonada pelas flores, árvores e o encanto presente naquele lugar, que era a representação do amor que uniam mãe e filha. No entanto Bel precisou aprender a lidar com perdas desde muito nova, vivendo momentos difíceis para uma criança. Depois de perder a mãe e também alguns anos da infância a menininha cresce e torna-se uma jovem insegura e temerosa em ter mais perdas e sofrimento em sua vida. Ela conhece Joaquim e juntos traçam uma história de amor e superação, com mais algumas perdas, dificuldades, lições e recomeços. Isabel precisará passar por um caminho de provações que a levará a aprender a confiar nos planos de Deus, trilhando um caminho de aprendizado, compreendendo as etapas da vida, para assim, entender que os laços de amor são muito fortes e nos acompanham eternamente.



Quando, ainda crianças, perdemos para a vida pessoas que amamos, custa-nos a crer em fatos e sensações boas novamente. Mas ter outras pessoas que também nos amam mostram que crescer e amadurecer é possível. Até amar novamente.


Em Lágrimas de Outono, vamos conhecer a história de Isabel, a Bel, e sua família. Morando no interior de Santa Catarina, Bel nos apresenta sua vida desde pouco antes do outono de 1940, quando, com seis anos de idade, perdeu a mãe para uma doença misteriosa.

"Do calor da minha cama, comecei a sentir um arrepio, parecia vir de dentro da alma, quando de por mim, percebi que estava ajoelhada no jardim, emmeio à chuva, aos prantos. Esse foi o primeiro dia em que briguei com Deus. (...) chorei até amanhecer, questionando Deus e sentindo-me culpada. Uma estranha culpa por estar viva. Por que Deus não me levava também?"

Bel, a mais nova de sete filhos, era a Jardineira da casa. Junto com sua mãe, passava seus dias entre as lindas flores e árvores no jardim em frente à sua casa, cuidando de cada uma com atenção particular, em especial o grande Carvalho, no qual havia um balanço que adorava usar, e a Cameleira, sua árvore florida preferida, pois era a que mais representava a mãe para ela.

Com o falecimento da mãe, muita coisa mudou. Seu pai perdeu o viço, seus irmãos tornaram-se introspectivos. E ninguém acreditou quando Bel contava ter visto sua mãe nos jardins, conversando com ela. A vida de Bel e seu irmão José piora muito quando seu pai decidiu se casar novamente, pois os mais novos precisavam de alguém que cuidasse deles direito.

Perder parte da família tão jovem e não ter crédito junto à família restante fez com que Bel temesse a vida. Passou a se manter afastada sentimentalmente. E cada vez que havia uma mudança, o impacto era estupendo.

"Entendi que a morte era algo ruim, que trazia dor e saudade, que nos jogava no escuro e que nos privava do amor e da companhia de quem amávamos. A morte tinha esse semblante triste e pesado. Era ingrata e cruel."

Morando em outra cidade, com um trabalho próprio, um sonho realizado, encontra o amor novamente. Mas será que ela está disposta a perder o medo de amar e se entregar?

Sobre a parte física: A edição do selo SER está linda! Com uma diagramação interna bem delicada e colorida, folhas amareladas, fonte em bom tamanho, margens justificadas e uma boa revisão (mas não impecável, ok), é um dos livros mais bonitos, apesar de não ter uma capa cheia de efeitos mirabolantes e ser bem simples. Deem uma olhadinha no nosso vídeo para ver o livro por dentro!

Descrição da capa #pracegover: a capa é perfeita para a história. Em tons de marrom, castanho e dourado alaranjado, bem ao estilo outonal mesmo, traz a foto de uma criança de cabelos alourados, usando um casaquinho xadrez e uma boina, tendo ao fundo, ligeiramente desfocado, um jardim em pleno outono. De novo, de uma representação impecável.

Minha opinião: O livro é lindo! Não é apenas um romance comum, é um livro sobre amor, daquele tipo de amor que transcende, transborda e transforma.

"Continuei olhando através da janela, observando a chuva fina escorrer pelo vidro, as folhas caírem no chão para depois ali apodrecerem, lembrando-me dos dias em que vi o sol nascendo e depois se pondo, das noites intermináveis e das estações que vi chegando e depois partindo. Aquele ano havia passado sem que eu saísse do lugar. Estava presa dentro do meu sofrimento."

Como conheci a Amanda e li seus primeiros livros (Ah! Mar Itajaí e S.O.S Mamãe de Primeira Viagem), além de alguns de seus textos no Wattpad, onde este livro foi postado primeiramente, e no Blog Clube do Livro e Amigos, já conhecia seu estilo de escrita, mesmo que tenham temáticas diferentes deste.

Assim, posso afirmar com certeza absoluta que Mandy amadureceu bastante! A escrita não perdeu a poética, mas ganhou uma fluidez bem mais limpa. Lágrimas de Outono é um daqueles livros que começamos a ler e não conseguimos parar, não pela curiosidade, apesar de presente, mas pela forma cativante da autora nos apresentá-lo.

O tempo todo eu quis dar um abraço na Bel, a protagonista e narradora, mesmo quando chegou à vida adulta, seguiu seus sonhos e encontrou amor. Todos os personagens são bem estruturados e cativantes, mesmo aqueles que possuem uma personalidade mais turrona. No fim, entendemos as dores e os motivos de todos.

As metáforas e analogias com flores e árvores tornaram a narrativa mais bela, mais encorpada e nunca cansativa em momento algum. A narrativa em primeira pessoa nos faz entrar no mundo de Isabel e imergir em seus sentimentos.

"Já era outono, as folhas começavam a cair, a temperatura também. Não fosse a ausência de mamãe tudo teria outro brilho e beleza, mas ela não estava lá e nunca mais estaria. Minha flor perfumada, aquela que cuidava e cobria-me à noite, que coloria a minha infância, que me ensinou a amar e pertencer um lugar encantado, o lugar onde eu amava estar, se fora embora para sempre."

Se você está pensando que é um livro sobre espiritismo, está enganado. É um livro sobre a vida que tem passagens sobre espiritismo, no entanto, sem ficar explicando a religião ou o como/porquê do que acontece. Cabe a você, leitor, se identificar ou acreditar com a narrativa da Bel ou não.

E depois de fechar o livro, nos lembramos de algo que lemos lá na primeira página: é inspirado em uma história real, em lembranças reais! E agora? Como anda seu coraçãozinho?

No mais, é um livro meigo, com lições de vida lindas e importantes, cheio de citações maravilhosas. Se eu recomendo? Nunca antes recomendei um romance com tanto fervor!



Canal 1001 no Youtube:

#1001páginas

Confiram como é linda a edição de Lágrimas de Outono!
Aproveitem e se inscrevam no canal!!



Sobre a AUTORA:

Amanda Bonatti é Catarinense, Pedagoga e Licenciada em Letras. Apaixonada pelo mundo dos livros e das palavras, escreveu contos, poemas e em 2013 publicou seu primeiro livro, intitulado "Ah! Mar Itajaí", onde retrata as praias e belezas naturais da cidade onde cresceu. Em 2015 lançou seu segundo livro na Bienal Internacional do Livro/RJ, o romance "S.O.S Mamãe de primeira viagem" direcionado ao público feminino e que conta hoje com a sua segunda edição.



Mais uma vez, amiga, agradeço imensamente pela oportunidade que me deu de ser sua parceira e de conhecer mais um livro seu, espetacular em essência e escrita. Parabéns!

Aos leitores, um livro mais que recomendado: leitura obrigatória!

Boa leitura! Até + ver!





Nuccia De Cicco é bióloga, Doutora em Bioquímica, escritora, poetisa, bailarina e blogueira. Carioca de paixão de Santa Teresa, é apaixonada por livros, seriados, tatuagens e lambidas caninas, além de ter uma queda saudável por cafajestes. Surda desde os 27 anos, é co-autora em nove antologias e publicou o livro “Pérolas da minha surdez”, uma obra sobre luta e força de vontade. Todas as suas facetas são mostradas no blog “As 1001 Nuccias”. Nele, a literatura impera!

17 comentários:

  1. Gostei muito da resenha e este é um livro da minha lista de desejos. Conheci a Amanda na Bienal de SP ano passado e é uma simpatia. Agora minha vontade de tê-lo em minha estante aumentou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ricardo!!!
      É um ótimo livro! A Amanda escreve bem, mas neste caprichou! Aproveite a próxima promoção da Arwen, vale muito a pena! Beijo!!!

      Excluir
  2. Amora, obrigada por essa resenha apaixonante, cheia de verdade e carinho, com considerações que vou levar para sempre comigo. Você conseguiu captar bem a essência desse romance... Love youu!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada, flor! Você mereceu! Está um livro ótimo mesmo!!!! Obrigada por vir!

      Excluir
  3. Bela resenha! Bastante detalhada.
    Fiquei com a impressão de ser um livro bastante delicado, mas ao tempo, bem forte. Acho que eu teria de me preparar um pouco antes de começar essa leitura. Reconheço que nunca aprendi a lidar bem com perdas e tá na cara que essa é uma das aquelas histórias que leva a gente a refletir sobre o seu tema.
    Obrigado pela dica, está na lista!

    ResponderExcluir
  4. Hey, Nuccia!

    Que linda a sua resenha! Eu adoro romances espíritas e fiquei muito curiosa a respeito desse. E minha mãe, então, é apaixonada por esse tipo de literatura! Acho até que vai dar um belo presente de dia das mães pra ela. Já vou procurar aqui pra comprar!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi
    Nossa que livro é esse,vou anotar aqui sua indicação,sua resenha ficou maravilhosa bem detalhada parabéns um beijo.

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?
    Owm que livro mais fofo. Me pareceu uma leitura muito interessante, e cheio de lições. O que é maravilhoso principalmente por ser tratar de fatos reais. Abordar o espiritismo de alguma forma é outro ponto positivo. Certamente vai para a minha lista de leitura.
    Parabéns pela resenha
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oiê, Nu, tudo bem?

    Bom eu já tinha lido uma resenha super positiva deste livro. Porém eu não me senti cativada pela leitura... Eu adorei ler a sua empolgação, adorei perceber o quanto o livro mexeu com você... é muito bom esta sensação né. Bom não duvido que a leitura flua e deve ter uma história linda, mas esta dica deixarei passar desta vez. Xero!

    ResponderExcluir
  8. Oi Nuccia! Lágrimas de Outono pela sua resenha me parece um misto de saudade com memórias e esperança. Isso é o melhor de um livro, quando ele transmite a força de um sentimento tão forte como o laço entre mãe e filhos. Imagino aqui a dor e a falta que é perder alguém tão amado como uma mãe. Esse livro deve ser incrível, quero ler!Bj

    ResponderExcluir
  9. Gosto muito dessas histórias de superações e onde precisamos encarar nossos traumas. Sempre achei a capa desse livro muito fofa e que bom que a edição está bonita! Como não to numa vibe muito boa, acho que não seria o momento pra eu ler livros assim haha. Mas, estará na minha lista. E preciso comentar que é gratificante quando o autor evoluiu ainda mais na escrita. Percebi o mesmo em um livro recente que li. Obrigada pela dica pra gente, beijokas, Nu!

    ResponderExcluir
  10. Olaaa, linda resenha e muito bem detalhada, adorei a temática apesar de ser bem diferente das minhas leituras, mas uma história muito bela.
    Com certeza dica anotada

    ResponderExcluir
  11. Oii. Tudo bem?
    Lendo a resenha, o livro me lembrou muito o "Jardim Secreto". Apesar do enredo não ser igual, a história da personagem me lembra muito a Mary que precisou superar muitas perdas e encontrou nas flores um conforto e uma alegria sem igual.
    Bjoo

    ResponderExcluir
  12. Oii
    Parece ser um bom livro, menina que resenha ótima! Adorei. Sobre o livro, ele não encheu os meus olhos, de certa forma, acho que não seria um livro que leria, achei a capa bem fofa, mas infelizmente essa dica irei passar. Gostei muito da sua resenha!
    Amei seu post
    Abraços:**
    http://FebredeLivro

    ResponderExcluir
  13. oi, nu. amei a premissa dessa obra e me chamou muita atenção, principalmente por se passar aqui no meu estado. Gostei de saber dessa pegada espírita, mas sem ser forçado e sem muitas explicações, e amei mais ainda saber que tem um toque de história real aí. P.s: amei a descrição da capa. <3 obrigada por isso!

    ResponderExcluir
  14. Livro nacional sempre merece uma atenção da gente! Adorei a sensibilidade da obra, parabéns pela resenha!!!!

    ResponderExcluir
  15. Oie tudo bom? O livro parece ser muito interessante, nunca li nada com passagens de espiritismo e portanto fiquei curiosa. Os nacionais têm me surpreendido muito!

    ResponderExcluir

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...