menu

Sorteios

sexta-feira, 23 de junho de 2017

9 Resenha [livro] - Três Verões, de Fê Friederick Jhones

Queridas pessoas, 

Venho por meio desta dizer que AIMEODEOS, quanto romance lindo nesse nosso especial!!! Já viram as postagens do Junho Apaixonante?


Confiram AQUI!

Sexta-feira é dia de...? De...? Caraca, pessoas! De resenha nacional!!! Vem conferir a resenha do livro Três Verões, escrito pela linda e simpática autora parceira Fê Friederick Jhones, a mesma de Ímã de Traste!

Três Verões
Autora: Fê Friederick Jhones
Editora: Amazon
Gênero: romance 
Ano: 2016
323 p.




*Obra cedida pela autora no formato digital para resenha referente a parceria 2016/2017. 
As opiniões são exclusivamente nossas. Não houve nenhum tipo de intervenção em nossos comentários.*

Sinopse:
Letícia e Diogo são primos, mas isso não os impede de se apaixonarem. Durante três verões, eles conseguem viver essa paixão escondidos, mas são descobertos, a pressão familiar e uma mistura de sentimentos os separam. Doze anos depois, a família volta a ser o motivo para seus caminhos se cruzarem. Diogo está noivo e Letícia passa por problemas emocionais graves, resta saber se o primeiro amor reacenderá ou se tudo não passou de uma paixão de verão.




Há romances de todos os tipos, é verdade, mas sabe aqueles pelos quais você espera mais do mesmo e se encanta? Pois é... Três Verões foi uma grata surpresa!


Esta história começa com dois adolescentes, um casal de primos, fugindo da casa de campo (casa do avô em MG, onde a família se reúne todo verão) no meio da noite para irem a uma clareira. E lá, Letícia e Diogo juram amor um ao outro, começando um namoro. Durante os verões estão juntos o mais que conseguem, pois no resto do ano cada um está em sua casa: ele no RJ e ela na Bahia.


"Havia algo diferente em Diogo naquela noite, uma faísca naqueles olhos cor de caramelo, algo que fez meu estômago se revirar e um frio percorrer meu corpo. Ele se aproximou e tocou meu rosto com carinho."

Então, no último verão juntos, a família descobre. Há uma tremenda discussão, laços familiares são rompidos. Incluindo Letícia e Diogo, pois ela, com medo de um futuro incerto e sob tremendas represálias da mãe, decide não ficar ao seu lado, não ir com ele para longe.

Doze anos se passam sem contato algum. O avô falece e todos se reencontram na casa de campo em MG para seu funeral e leitura do testamento. Apesar de ir sozinha, Letícia agora tem um namorado que trabalha no mesmo escritório do seu pai. E Diogo? Noivo de uma ativista social como ele.


"Não tem nenhum louco aqui. Eu e sua filha, minha namorada, nos apaixonamos e vamos nos casar. - E antes que eu percebesse o que estava acontecendo, George surgiu do nada e deu um murro em Diogo."

Letícia, então, tem de enfrentar seus medos passados e os novos. Tem de enfrentar sua tia, que culpa a sobrinha pela destruição do futuro do filho. E tem de enfrentar sua própria família que cismou de criar o futuro dela, mesmo que ela não goste dele. Além de tudo isso, um agravante: os problemas emocionais de Letícia são profundos e ainda não controlados, os mesmos que surgiram quando seus pais a obrigaram a se afastar do país para tentar driblar o amor pelo primo.


Antes de passar ao que interessa, vamos rapidinho falar sobre a edição e capa. A edição do e-book está dentro dos padrões da Amazon: bom tamanho de fonte, margens justificadas, bom espaçamento de linha. A revisão ficou boa e a formatação também. Alguns trechinhos repetidos, mas no geral gostei bastante.

Sobre a capa, é o amorzinho dos livros românticos, pois unifica duas cenas impactantes do enredo. Descrição #pracegover: a primeira cena, que está na parte superior da capa, mostra um casal sentado em um clareira, sob a luz do sol poente, de costas um para o outro e ambos olhando para o céu, com um braço erguido cada um. A segunda cena, na parte inferior da capa, é uma foto representativa de uma casa de campo, grande, com um riacho próximo e florestas no entorno. As cenas são divididas por uma faixa bege com arabescos e filigranas, tendo o título do livro e o nome da autora centralizados.


"E foi quando ele a sentiu entrar, antes de olhar para a porta, antes de levantar a cabeça, antes que seus olhares se cruzassem, ela a sentiu. O coração sentiu aquela emoção inicial como um furacão , então, depois de 12 anos, eles trocaram olhares."


E vamos à minha opinião. Eu vou ser sincera e dizer que tive certo medo de começar a leitura. Já conhecia a escrita da Fê, mas o gênero do livro anterior (o chick-lit Ímã de Traste) era bem distinto, apesar de ter romance nele também. Aliás, tem outra leitura que também tende ao romance (Venenosa), e foi dela que veio meu primeiro crush, porém ainda assim não me sentia à vontade. Sabem como é, Nuccia e Romance juntos? Complicado...


Três Verões é um romance bem mais romântico, tem uma carga dramática como Venenosa, mas bem menos conflitos de ação e mais conflitos emocionais. Não desmereço livros assim, pelo contrário, adoro, só tenho dificuldade em juntar o drama ao romance. Além disso, envolve um relacionamento entre parentes, o que pra muita gente é polêmico. Então, liguei o Gasparzinho (meu tablet) e fui com calma.


"Diogo estava noivo? E ia trazer a noiva para a Mansão? Para a Mansão dos dois, lugar em que... Que ela o tinha magoado profundamente. Este pensamento a fez parar de sentir raiva dele e começar a sentir raiva de si mesma."

Que receio idiota o meu! Foi uma das melhores leituras românticas que fiz! E quem acompanha o blog sabe o quanto eu enfatizo minha chatice com romances!

A narrativa começa em primeira pessoa e após a passagem de tempo vai para terceira. É aqui que começa a intercalar o ponto de vista, entre o da Letícia e o do Diogo. Achei interessante a abordagem.

A Fê criou uma trama comum, mas de forma inteligente. Ela dosou o relacionamento, juntou personagens cativantes desde o começo, afastou-os, fez com que o orgulho deles gritasse, fez a família, que deveria ser sua base, seu apoio, se tornasse seu pior inimigo e anexou a isso sentimentos mais verdadeiros que poderiam existir.


Desde o início dá pra sentir literalmente na pele o amor dos primos. Achei lindo que ambos tivessem suas paixões artísticas e que elas foram bem pesquisadas pela autora e muito bem usadas na trama. O cenário bem descrito fez com que eu viajasse pelo país. E a narrativa cadenciada, com um ritmo de leitura não enfadonho, me fez devorar o livro.

Gosto quando quero abraçar uns personagens e quando tenho vontade de esganar outros. Quando grito e me frustro com a leitura porque os personagens e suas atitudes me dão nos nervos. Se um livro é capaz de me mexer assim, é maravilhoso, sua mensagem chegou onde deveria.

Quer um romance daqueles de arrancar seu coração, pisar em cima e depois acarinhar e cuidar com carinho? Pegue Três Verões agora, não irá se arrepender!




Sobre a AUTORA:

Eu sou uma apaixonada por histórias e pessoas, minha primeira escolha então foi a Psicologia, as palavras sempre fazendo meu mundo ter mais sentido, palavra cantada, escrita, falada, eu amo qualquer tipo de arte. Sou uma boba que chora com dramas de amor, amo finais felizes e clichês românticos, gosto de torcer por personagens que só existem na minha imaginação e passo horas em mundos variados, criando-os ou conhecendo-os pela voz de outros. Escrevo porque preciso e não saberia viver sem isso, artigos, reflexões, frases, contos, poesias, romances, todos os meus pedaços que dou ao mundo. Lancei o meu primeiro livro Ímã de Traste pela Editora Tribo das Letras, Selo Métrica Pink. Sou mãe de uma lady peluda que se chama Belle e tenho um marido lindo chamado Deivid Jhones, de quem roubei o sobrenome. Nasci na terra do acarajé, mas moro na cidade do bolo de rolo. Prazer, eu sou a Fê!



OBRAS RESENHADAS:

    
clique nas capas para ser redirecionado às resenhas


Um romance sensacional! E olha que eu e romances temos lá nossos probleminhas...

Muito obrigada, Fê, pela cortesia e pela paciência em esperar tanto pela resenha!

Apreciem também! Boa leitura!

Até + ver!


Nuccia De Cicco é bióloga, Doutora em Bioquímica, escritora, poetisa, bailarina e blogueira. Carioca de paixão de Santa Teresa, é apaixonada por livros, seriados, tatuagens e lambidas caninas, além de ter uma queda saudável por cafajestes. Surda desde os 27 anos, é co-autora em nove antologias e publicou o livro “Pérolas da minha surdez”, uma obra sobre luta e força de vontade. Todas as suas facetas são mostradas no blog “As 1001 Nuccias”. Nele, a literatura impera!

9 comentários:

  1. Faz tempo que ando ensaiando ler a Fê,mto tempo mesmo. E sou apaixonada por romances que nascem na infância ou adolescência pois são os mais inocentes e genuinos.
    Tenho um fraco por romances impossíveis, então acho que já me apaixonei kkkk. Vou correndo ler essa história que já me encantou pela sinopse e resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que goste! Uma linda leitura e me conte o que achou! Beijinhos

      Excluir
  2. Meu Deus!!!! Eu chorei mesmo lendo essa resenha! Sempre fico ansiosa quando sei que alguém está lendo um livro meu e estava muitoooooo mais ansiosa por saber suas ressalvas com o romance! Fiquei tão emocionada e feliz com uma resenha tão linda! Obrigada, Nu! Você tornou meu dia espetacular! Obrigada, obrigada!

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Pelo visto só eu que ignoro incestos e afins. Esses dias eu assisti ao filme Marguerite e Julien - Um Amor Proibido, baseado na história real dos irmãos Marguerite e Julien de Ravalet, na França do século XVII, em que se apaixonam e fazer de tudo pra viver esse amor, e esse livro, enquanto lia sua resenha, me lembrou esse filme. Com certeza, se eu ler, vou torcer pro casal ficar junto, mesmo sendo parentes. Aliás, recomendo o filme.

    ResponderExcluir
  4. Oi Nuccia!

    Ao contrário de você adoro romances e geralmente os dramáticos mesmos....Gostei muito da forma como você foi sincera e recordo de suas falas ao avaliar esse tipo de gênero. Gostei muito da capa e o enredo com o par romântico sendo familiares me deixou curiosa. ENfim, obrigada pela dica. Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi Nu, tudo bem?

    Já conheço a escrita da Fê, pois li recentemente Ímã de Traste e simplesmente amei a narrativa divertida e precisa, fiquei super feliz com a leitura no geral. Confesso que também tenho esses receios quando o autor muda o gênero de uma obra para outra. Fiquei muito curiosa para conhecer esse livro, pois adoro um romance romântico e essa história de paixão entre primos sempre chamou a minha atenção. Adorei a resenha!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Eu não conhecia a autora , e já estou com vontade de ler toda a obra dela! Dá pra perceber que esse livro te encantou muito, pois você escreveu com muita paixão. Eu gosto muito de romance, principalmente quando vem acompanhado de um bom drama, como esse e devo dizer que dramas familiares são incríveis! Estou imensamente curioso para conhecer essa obra! Espero poder ler em breve! Beijos do Wes ^^

    ResponderExcluir
  7. Oi tudo bem?
    Primeiramente adorei o nome do teu tablet hahaha. Realmente incesto é um tema bem polemico né? Mas vou te confessar que já li alguns livros e eu também curti, não conhecia a autora mas espero fazer a leitura em breve.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    Não conheço a escrita da Fê, porem devo frisar que através da sua resenha fiquei muito curiosa para ler esse livro, e assim conhecer melhor o trabalho da autora.

    Beijos.

    ResponderExcluir

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...