menu

Destaques

sexta-feira, 18 de outubro de 2019

0 Resenha [livro] - Belo Desastre, de Jamie McGuire


Olá, nucciamigos!

A resenha de hoje é sobre um livro que, apesar de recheado de clichês, é uma leitura gostosinha.

Uma garota com passado conturbado, um bad-boy sacana tentando mudar, uma aposta, uma amizade e algo mais: Belo Desastre, de Jamie McGuire, publicado pela Verus Editora.


Sobre o LIVRO:

Belo Desastre
Autora: Jamie McGuire
Editora: Verus
Gênero: romance
Ano: 2012
392 p.

Sinopse:
Abby Abernathy é uma boa garota. Ela não bebe nem fala palavrão, e tem a quantidade apropriada de cardigãs no guarda-roupa. Abby acredita que seu passado sombrio está bem distante, mas, quando se muda para uma nova cidade com America, sua melhor amiga, para cursar a faculdade, seu recomeço é rapidamente ameaçado pelo bad boy da universidade. Travis Maddox, com seu abdômen definido e seus braços tatuados, é exatamente o que Abby precisa e deseja evitar. Ele passa as noites ganhando dinheiro em um clube da luta e os dias seduzindo as garotas da faculdade. Intrigado com a resistência de Abby ao seu charme, Travis a atrai com uma aposta. Se ele perder, terá que ficar sem sexo por um mês. Se ela perder, deverá morar no apartamento dele pelo mesmo período. Qualquer que seja o resultado da aposta, Travis nem imagina que finalmente encontrou uma adversária à altura. E é então que eles se envolvem em uma relação intensa e conturbada, que pode acabar levando-os à loucura.


*Livro do acervo pessoal da blogueira*



Belo Desastre é aquele clichê jovem-adulto que todo mundo está cansado de ler e lê ainda assim. Temos a mocinha, o mocinho, uns amigos, a faculdade, um relacionamento doido, histórias do passado e reviravoltas. Aposto que todo mundo adivinha o final.

Abby é uma jovem que fugiu da cidade onde viveu sua infância por causa do jeito como o pai a tratava. Acompanhada da sua amiga América, moram e estudam na universidade que estão bem longe de concluir. América namora Shepp e é na primeira saída de Abby com o casal de amigos que ela é levada ao clube de luta secreto da universidade. E aí ela esbarra, literalmente, em Travis "Cachorro Louco" Maddox.

"(...) um pesado par de botas pretas parou diante de mim, desviando minha atenção para o chão. meus olhos foram se voltando para cima, jeans manchado de sangue, músculos abdominais bem definidos, um peito tatuado ensopado de suor e, finalmente, um par de cálidos olhos castanhos."

Travis Maddox é aquele bad boy sarado e tatuado com quem todas, explicitamente to-das as garotas da faculdade querem transar sair. Exceto a América, porque seu namorado é primo do cara, e a Abby. Aliás, Travis é o tipo de cara que Abby necessita ficar distante se quer mesmo esquecer seu passado e focar em concluir a faculdade.


Assim que se conhecem, Abby faz de tudo para parecer o pior tipo de garota com a finalidade de ser ignorada por Travis. O tiro sai pela culatra. Justamente por não querer ir pra cama com ele, Travis gama na garota.

"(...) parecer desinteressante era a melhor estratégia. A ideia seria que Travis perdesse instantaneamente o interesse em mim e colocasse um ponto final nessa ridícula persistência."

Nasce uma amizade divertida. Surge uma aposta. Surgem rivais. Surge um relacionamento sanfona. Surgem situações do passado, fazendo com que o presente se estrague. E o final, aposto (de novo) que geral sabe como é.

Pra quem me disse que minha personagem Pamella, de Cadeados, era lenta por não ver Jonas piscando na sua frente, vou dizer uma coisinha: vocês não devem ter lido Belo Desastre. Porque, olha...

"Ele abriu aquele sorriso largo dele, divertido meio infantil e fiquei com mais raiva na esperança de disfarçar minha inquietação. Eu não sabia como as garotas se sentiam quando estavam perto dele, mas tinha visto como se comportavam."

Abby é devagar, quase parando. Ela se fixa na amizade, no fato de que não quer feat não pode feat não vai de jeito nenhum dar uns pegas no Travis que faz cada coisa... E não enxerga o que o babaca faz por ela.

Ah, sim, Travis Maddox é um babaca! E a justificativa que a autora deu pra ele ser um machista babaca não me convenceu. Na cabeça dele, toda e qualquer mulher que transa num primeiro encontro é vagabunda e é por isso que ele trata todas como se fossem escória social. A única que ele "respeita" é aquela que o trata como ele trata todas as outras, como um objeto. Ah, claro: até conhecer a Abby (Nuccia revirou os olhos pela 627ª vez). 

"Um brinde a ser a única garota com quem um cara sem nenhum critério não quer transar."

Ok, com o tempo a gente vê algumas mudanças. Poucas, mas vê. E tem os personagens secundários: a relação meio louca de América e Shepp, a relação entre os membros da família Maddox (que salvou o livro), a relação Abby e o pai.


Tá, beleza, o livro não é ruim. Só é... comum. É aquela coisa de faculdade nos EUA que geral sabe como é, tem as baladas e muita bebida. De diferente, tem as lutas e a parte do passado da Abby que não posso contar por seria um spoiler (não está na sinopse).

"Travis esperou até que eu estivesse saindo com alguém, alguém de quem eu realmente gostava, para demonstrar interesse em mim, e eu parecia ser a única garota com quem ele não conseguia fazer sexo, nem mesmo quando estava caindo de bêbado."

Então, além do clichê (vocês já devem ter percebido que eu não curto muito. Eu até leio clichê, e escrevo, mas tem uns que são o clichê do clichê...), o que me cansou no livro foi a revisão. Na parte de pontuação, amém, estava ok. Mas, caramba, pra quê aquele tanto de advérbios terminados em "-mente"? Como não li a versão em inglês, estou culpando a revisão nacional. Se quem leu confirmar o excesso de advérbio, aí a culpa vai pra autora.

Enfim, a galera que curte esse tipo de leitura vai se apaixonar. Vai ter corações saltando do livro e tudo. Quem não é chegado nesses romances, vai odiar.

"A gente não dá certo juntos, Travis. Acho que você está obcecado com o pensamento de me possuir mais do que qualquer outra coisa."

Eu curti até certo ponto, li bem rapidinho. A narrativa é gostosa (fora os advérbios), tem uma certa cadência e é até engraçado (?) ver o vai-e-vem do casal. Mas é um livro que eu não leria de novo.

Acho que vai do gosto de cada um. Leiam e tirem suas conclusões. ;)



Sobre a AUTORA:

Jamie McGuire nasceu em Tulsa, Oklahoma. Ela foi criada por sua mãe Brenda em Blackwell, Oklahoma, onde ela se formou no colegial em 1997. Jamie assistiu à Northern Oklahoma College, da University of Central Oklahoma, e Autry Centro de Tecnologia, onde se graduou com uma licenciatura em Radiologia. Jamie vive agora em Enid, Oklahoma, com seus três filhos e marido Jeff, que é um cowboy de verdade. Eles compartilham seus 10 hectares, com quatro cavalos, quatro cães e Galo, o gato. Livros publicados por Jamie incluem a trilogia "Providência", e The New York Times best-seller "Belo Desastre", um romance contemporâneo. Quando não está escrevendo, Jamie passa seus dias deixando seus quatro cães dentro e fora de casa.


Livros sobre os Maddox



Próximo livro: nacional!

E o gênero: terror!

Vamos fechar outubro com chave de ouro!

Boa leitura e até + ver!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...