menu

Destaques

terça-feira, 26 de novembro de 2019

0 Resenha [livro] - A luz que me aprisiona, de Láiza de Oliveira


Bom dia, nucciamigos!

Vocês já pararam para pensar na importância do sol? E se um dia ele lhes fosse negado?

É essa a premissa da resenha de hoje!

Vem conhecer A luz que me aprisiona, o terceiro livro da autora Láiza de Oliveira, publicado de forma independente e digital na Amazon.


Sobre o LIVRO:

A luz que me aprisiona
Autora: Láiza de Oliveira
Editora: Independente (Amazon)
Gênero: juvenil / drama
Ano: 2019
p.

Sinopse:
Lírio é uma garota que não viveu a metade do que seus amigos de escola com a mesma idade já presenciaram. Sua vida não é simples, mas cheia de limitações e precauções, porque não pode sair ao sol. Ela é uma das “Crianças da lua”, como são conhecidas e chamadas as crianças com Xeroderma Pigmentoso (XP). No auge da sua adolescência, Lírio começará a se questionar por ter uma doença tão devastadora. Sentindo-se enclausurada em sua própria casa, irrita-se por saber que a maioria das pessoas não agradece por estar ao sol e poder vivenciar algo tão simples. Seu maior sonho é poder sentir o sol em sua pele sem precisar usar sua roupa de proteção. Nem que para isso ela tenha que driblar a vida durante o caminho. Juntamente com sua melhor amiga, Beatriz, sua paixonite de infância, Vitor, e ao som da sua banda favorita, Imagine Dragons, Lírio embarca em uma aventura em busca do seu lugar ao sol. 

AMAZON | SKOOB

*Livro do acervo pessoal da blogueira*



Lírio era uma adolescente comum, que andava sempre com sua amiga, era apaixonada por um rapaz da escola, ouvia as músicas da sua banda preferida. Tudo bem normal, exceto por um detalhe...

O Xeroderma Pigmentoso. Uma doença grave que a impedia de ser exposta ao sol. Para ir à escola, precisa de uma roupa especial. Sair de casa? Só depois que o sol se põe; É... Lírio não era tão comum assim.

"Em um mundo com mais de sete bilhões de habitantes, por que eu fui acometida por uma doença tão anormal?"

Com 14 anos, tudo que desejava era deixar de ser uma das crianças da Lua para poder ter uma vida normal. Ela queria namorar, correr, se divertir, sentir o sol aquecer a pele, queria vê-lo nascer, queria ir ao show do Imagine Dragons.


Mas... A vida tem lá suas próprias decisões, não é? E quando estava chegando a um acordo com seus pais e com o XP para ter uma vida quase normal, o destino lhe dá uma rasteira.

O XP avança, a visão lhe é roubada, e, com ela, muitos outros sonhos. Será que ela nunca vai poder viver em paz? O que mais a vida lhe reservou?

"Não pode ficar se sentindo diferente só porque tem uma doença. Tu é linda, Lírio, não sei como não aceitou isso ainda."

Assim como os outros livros da Láiza, esse é recheado de informações e de música. Músicas que se encaixam com perfeição em cada momento do personagem. Chego a me perguntar se ela escreveu o livro em torno das músicas, ao invés de escolher músicas que combinassem com o livro.


Apesar de ser um pouco mais juvenil que os livros anteriores.a carga emocional se mantém à mesma altura. E se fosse diferente, não seria a Láiza quem escreveu. Ela foi feita para esse tipo de literatura, aquela que mexe com nossos sentimentos profundos, que ensina e nos estapeia a cada capítulo.

Lírio, apesar de ser um personagem adolescente cheio daquelas questões que para os adultos não são nada e para os tais adolescentes são questão de vida ou morte, não é uma chata. Sua fixação nas músicas do grupo ID é até simpática. Há músicas para tudo. Além de, é claro, "A" música da vida dela.

"É esse tipo de olhar que eu quero evitar. Compaixão. As pessoas sempre sentem dó de mim por não poder fazer o que todos os outros fazem."

Não vou falar do final, cada um que interprete como deve. Outra leitura sensacional (se bem que "Quando o Sol deixou de brilhar" continua ganhando). Espero que vocês curtam como eu.

Recomendadíssimo! ;)



Sobre a AUTORA:

Láiza de Oliveira nasceu em Barra Bonita, interior de São Paulo. Começou a ler e cheirar livros aos oito anos. A biblioteca sempre foi seu lugar de refúgio, onde permanecia por horas a fio, tentando encontrar alguma relíquia. Somente em 2012 começou a adquirir livros. Seu sonho? Montar a própria biblioteca particular. Viciada em livros e séries dramáticas, recentemente se apaixonou e entrou de cabeça na leitura de High Fantasy e a Sarah J. Mass foi incluída na sua lista de melhores autores. Collen Hoover ainda encabeça essa lista. Ela jura que está tentando melhorar e responder as mensagens dos amigos em tempo recorde, e não duas semanas depois — como tem feito —. já que costuma se esquecer. Meros detalhes. “A luz que me aprisiona” é seu terceiro romance. “Permita-se Recomeçar” e “Quando o sol deixou de brilhar” são suas primeiras publicações.



OUTRAS OBRAS:





Mais uma resenha inspiradora, né?

Sobre novidades: Já começou a pré-venda da Coletânea Negritude! TEm brindes especiais e desconto sagaz! Aproveitem!

Boa leitura! Até + ver!





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...